sicnot

Perfil

Mundo

Troca de tiros no bairro diplomático da capital do Bangladesh

Uma intensa troca de tiros entre a polícia e um número indeterminado de homens armados foi hoje registada num restaurante no bairro diplomático da capital do Bangladesh, Daca, informaram as autoridades policiais locais.

Segundo as informações divulgadas pelas agências internacionais existem relatos de algumas pessoas terem sido feitas reféns no interior do restaurante.

"Um número desconhecido de pessoas ainda está lá dentro, mas não podemos confirmar se estão a ser feitas reféns", disse, em declarações à agência noticiosa francesa AFP, um oficial da polícia local, Sayedur Rahman.

Dois agentes da polícia ficaram gravemente feridos no tiroteio, de acordo com informações avançadas pela estação de televisão privada Channel 24.

A edição digital do jornal Daily Star noticiou que um grupo de cinco atacantes entrou no restaurante, localizado numa zona da capital Daca considerada como sofisticada (Gulshan), e abriu fogo por volta das 21:20 locais (14:20 em Lisboa).

O incidente aconteceu perto de um bar conhecido como Nordic Club, um regular ponto de encontro de expatriados nórdicos, e da embaixada do Qatar.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".