sicnot

Perfil

Mundo

NATO e Rússia reúnem-se a 13 de julho em Bruxelas

A NATO e a Rússia vão reunir-se a 13 de julho em Bruxelas, quatro dias depois da cimeira que deverá aprovar o reforço da defesa coletiva face à Rússia, anunciou hoje o secretário-geral da organização.

© Reuters Photographer / Reuter

"Decidimos, com a Rússia, fazer uma reunião do Conselho NATO-Rússia a 13 de julho na sede da NATO, em Bruxelas, pouco depois da Cimeira de Varsóvia" de sexta-feira e sábado, anunciou Jens Stoltenberg num comunicado.

O Conselho NATO-Rússia é constituído pelos embaixadores dos 28 países membros da Aliança Atlântica e da Rússia e reunia-se regularmente até à crise no leste da Ucrânia, que provocou uma forte degradação das relações entre a Aliança Atlântica e Moscovo.

Em abril deste ano, o Conselho NATO-Rússia reuniu-se pela primeira vez desde março de 2014, mas as conversações terminaram com "divergências profundas" sobre a Ucrânia e outras questões.

A Alemanha liderou os apelos para que uma nova reunião se realizasse antes da Cimeira de Varsóvia, mas fontes diplomáticas da NATO citadas pela AFP afirmaram que a Rússia se mostrou reticente, preferindo aparentemente avaliar o resultado da cimeira antes de novas conversações.

Stoltenberg afirmou no comunicado de hoje que o Conselho NATO-Rússia "tem um papel importante enquanto fórum de diálogo e de troca de informações, para reduzir tensões e aumentar a previsibilidade".

"As nossas discussões vão centrar-se na crise dentro e à volta da Ucrânia e na necessidade de aplicar plenamente os acordos de Minsk" para um cessar-fogo no leste ucraniano.

A NATO suspendeu a cooperação com a Rússia após a anexação por Moscovo da península ucraniana da Crimeia, em março de 2014, mas manteve canais de comunicação abertos.

Na Cimeira de Varsóvia, os países membros da NATO vão aprovar o maior reforço militar da Aliança desde o fim da Guerra Fria, motivado em grande parte pela intervenção da Rússia na Ucrânia.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59