sicnot

Perfil

Mundo

Ações russas na Ucrânia "destruíram confiança mútua"

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse hoje que "as ações da Rússia na Ucrânia destruíram a confiança mútua com o Ocidente", na véspera da cimeira da NATO, que sexta-feira tem início na Polónia.

© Stefanie Loos / Reuters

"Se através de palavras e ações, a validade da lei [internacional] e a inviolabilidade das fronteiras são questionadas, depois é claro que a confiança se perde", disse hoje a chanceler ao parlamento alemão, acrescentando que "as ações da Rússia perturbaram profundamente os [ainda] aliados orientais".

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje os planos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) para implantar tropas na Polónia e nas três repúblicas bálticas (Lituânia, Letónia e Estónia), de forma a fortalecer a capacidade de defesa da Aliança, no seu flanco oriental, mas sublinhou a necessidade de "manter a mão estendida ao diálogo com a Rússia".

"A segurança a largo prazo da Europa só poderá ser alcançada com a Rússia e não contra a Rússia", disse a chanceler, numa declaração institucional antes do plenário do Bundestag (câmara baixa do parlamento) e em vésperas da cimeira da NATO, que começa sexta-feira em Varsóvia.

Angela Merkel mostrou-se convencida de que não existe contradição entre o princípio de solidariedade da Aliança e o diálogo com a Rússia, pois "são princípios inseparáveis", disse a chanceler.

A Alemanha continua comprometida com a Ata Fundacional NATO-Rússia, o acordo base que regula as relações entre as duas partes desde 1997, apesar de a "Rússia a ter tornado vulnerável na Ucrânia", reconheceu Angela Merkel.

Neste contexto, a chanceler alemã insistiu no "grande interesse" em manter "uma relação construtiva com Moscovo".

Advertiu que, "na futura colaboração, será decisivo o cumprimento dos acordos de Minsk (que visavam parar os combates no leste da Ucrânia e implementar um cessar-fogo imediato) por parte da Rússia" e recordou que o cessar-fogo na Ucrânia não está a ser respeitado.

A chanceler manifestou-se satisfeita com o facto de a NATO e a Rússia terem acordado uma reunião de embaixadores no próximo dia 13 de julho e lamentou que Moscovo não tenha aceitado o convite para esse mesmo encontro antes da cimeira de Varsóvia.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.