sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte diz que sanções dos EUA contra Kim Jong-Un são declaração de guerra

As autoridades de Pyongyang afirmaram hoje que as sanções financeiras aplicadas pelos Estados Unidos contra o líder norte-coreano Kim Jong-Un equivalem a uma "declaração de guerra".

© KCNA KCNA / Reuters

As sanções constituem "o ato mais hostil" por parte dos norte-americanos e uma "declaração, nítida, de guerra", afirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, em comunicado.

Os Estados Unidos colocaram, na quarta-feira, Kim Jong-Un na sua lista negra de sanções, afirmando que este é diretamente responsável por uma longa lista de violações graves dos direitos humanos.

Estas sanções são as primeiras que nomeiam o "líder supremo" do país e também as primeiras a acusar o Estado norte-coreano de violações dos direitos humanos.

Pyongyang, na sua primeira resposta às sanções, pediu a Washington que as retirasse imediatamente, alertando que a Coreia do Norte cortaria de imediato todos os laços diplomáticos.

"Os Estados Unidos atreveram-se a desafiar a autoridade máxima do nosso Estado, e cometeram o ato mais hostil de sempre, que vai para além do confronto sobre a chamada questão dos direitos humanos. Trata-se de uma declaração, nítida, de guerra", lê-se no comunicado.

"Agora que os EUA declararam guerra contra nós, todos os problemas decorrentes de relações com os EUA vão imediatamente ser tratados de acordo com as leis do tempo de guerra", garante Pyongyang.

A Coreia do Norte vai tomar "contramedidas extremamente fortes" em resposta, acrescentou, sem entrar em detalhes sobre o que tal significa.

Lusa

  • 2017 regista o valor mais alto de área ardida da última década
    0:56
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Suspeitas de fraude em matrículas escolares
    2:24

    País

    A Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGAE) abriu uma investigação por suspeitas de fraude nas matrículas, no agrupamento Filipa de Lencastre, em Lisboa. Muitos pais queixam-se de alegadas irregularidades no processo de admissão de vários alunos. Em algumas escolas foi preciso recorrer aos serviços da PSP para acalmar os ânimos. 

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46