sicnot

Perfil

Mundo

EUA nomeiam oito companhias aéreas para serviços regulares a Havana

As autoridades de transportes dos Estados Unidos designaram oito companhias aéreas para fazer serviços regulares para Havana, em Cuba, de forma a acabar com uma pausa de seis décadas.

Bandeiras cubanas frente à embaixada dos EUA em Havana.

Bandeiras cubanas frente à embaixada dos EUA em Havana.

© Alexandre Meneghini / Reuters

O departamento de transportes adiantou que as companhias aéreas propostas para o serviço vão partilhar 20 voos de ida e volta por dia, algo já aprovado pelos dois governos, de forma a ligar dez cidades norte-americanas a Havana.

"Restaurar o serviço aéreo leva a um tremendo potencial para reunir famílias cubano-americanas, a promoção da educação e oportunidades para as empresas americanas de todos as dimensões", acrescentou.

As companhias aéreas dos EUA que farão voos para Havana serão a Alaska Airlines, American Airlines, Delta Air Lines, Fontier Airlines, JetBlue Airways, Southwest Airlines, Spirit Airlines e United Airlines.

O acordo entre Cuba e os Estados Unidos permite às transportadoras cubanas 20 voos diários de ida e volta entre Havana e cidades dos EUA.

Seis das companhias aéreas americanas foram escolhidas em junho para servir outras cidades cubanas.

A julho de 2015 os Estados Unidos da América e Cuba restauraram as relações diplomáticas.

Lusa

  • "É pesado dizer a miúdos que ainda ontem os pais estavam a ensinar o atar ténis que vão ficar em prisão preventiva"
    2:49
  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões de animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Gases tóxicos expelidos pelo Kilauea ameaçam a população no Havai
    1:51
  • Gilberto Gil cancela atuação em Israel

    Cultura

    O músico brasileiro Gilberto Gil cancelou a atuação que tinha marcada para Telavive, em Israel, no dia 4 de julho, na sequência de protestos em Gaza durante os quais o exército daquele país matou 60 palestinianos.