sicnot

Perfil

Mundo

EUA nomeiam oito companhias aéreas para serviços regulares a Havana

As autoridades de transportes dos Estados Unidos designaram oito companhias aéreas para fazer serviços regulares para Havana, em Cuba, de forma a acabar com uma pausa de seis décadas.

Bandeiras cubanas frente à embaixada dos EUA em Havana.

Bandeiras cubanas frente à embaixada dos EUA em Havana.

© Alexandre Meneghini / Reuters

O departamento de transportes adiantou que as companhias aéreas propostas para o serviço vão partilhar 20 voos de ida e volta por dia, algo já aprovado pelos dois governos, de forma a ligar dez cidades norte-americanas a Havana.

"Restaurar o serviço aéreo leva a um tremendo potencial para reunir famílias cubano-americanas, a promoção da educação e oportunidades para as empresas americanas de todos as dimensões", acrescentou.

As companhias aéreas dos EUA que farão voos para Havana serão a Alaska Airlines, American Airlines, Delta Air Lines, Fontier Airlines, JetBlue Airways, Southwest Airlines, Spirit Airlines e United Airlines.

O acordo entre Cuba e os Estados Unidos permite às transportadoras cubanas 20 voos diários de ida e volta entre Havana e cidades dos EUA.

Seis das companhias aéreas americanas foram escolhidas em junho para servir outras cidades cubanas.

A julho de 2015 os Estados Unidos da América e Cuba restauraram as relações diplomáticas.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.