sicnot

Perfil

Mundo

Obama decreta quatro dias de luto nacional pelas vítimas de Dallas

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou hoje quatro dias de luto nacional e a colocação das bandeiras a meia haste em sinal de luto pela morte de cinco polícias no tiroteio de quinta-feira em Dallas (Texas).

LM Otero

"Em sinal de respeito pelas vítimas do atentado contra agentes da polícia em Dallas (Texas), ordeno que a bandeira dos EUA ondule a meia haste na Casa Branca e em todos os edifícios públicos" até 12 de julho, indicou Obama.

A bandeira norte-americana também será colocada a meia haste, em sinal de luto, em todas as representações diplomáticas e bases militares e navios dos Estados Unidos em todo o mundo.

O ataque ocorreu durante uma manifestação convocada em Dallas, e em outras importantes cidades dos EUA, em protesto contra os últimos incidentes de violência policial com conotações racistas registados no país. Nos últimos dias, mais dois negros foram mortos à queima-roupa por polícias, no decurso de operações de rotina.

Segundo as autoridades, o suspeito pelos incidentes em Dallas, que provocaram cinco mortos e sete feridos entre os agentes da polícia, foi identificado como Micah X. Johnson, 25 anos, que também foi morto após permanecer entrincheirado durante mais de uma hora numa garagem, onde manteve um intenso tiroteio com as forças de segurança.

O Pentágono precisou hoje que Micah X. Johnson era reservista do exército norte-americano, designadamente com uma deslocação no Afeganistão. O suspeito esteve colocado neste país asiático entre novembro de 2014 e julho de 2014, como soldado e especialista em marcenaria e alvenaria.

Lusa

  • Seca extrema agrava-se no interior alentejano, produção de trigo pode cair 40%
    6:22

    País

    A falta de chuva está a provocar prejuízos na agricultura, em especial no setor dos cereais, como o trigo que, este ano, deverá registar uma quebra de 40% na produção. O repórter Luís Godinho convidou o agricultor e professor de Ciências Agrárias na Universidade de Évora, Ricardo Freixial, para explicar os prejuízos que a seca está a provocar nas culturas e a sustentabilidade da agricultura portuguesa perante as alterações climáticas.