sicnot

Perfil

Mundo

Espanholas lançam campanha para baixar IVA dos tampões

Espanholas lançam campanha para baixar IVA dos tampões

Mais de 700 espanholas uniram-se na iniciativa "Tampões do Canadá" para alertar o governo espanhol para a necessidade de baixar o IVA, atualmente de 10 por cento, dos artigos de higiene feminina.


A campanha "Tampons from Canada" (Tampões do Canadá) foi lançada na semana passada e conta com um vídeo promocional, realizado gratuitamente por uma agência publicitária, e uma petição 'online', que reuniu já mais de 126 mil assinaturas.

Em Espanha, tampões, pensos e copos menstruais têm 10% de IVA e outros produtos de higiene feminina chegam aos 21%, enquanto no Canadá esses artigos não têm o imposto, pelo que as subscritoras se juntaram para comprar tampões a esse país.

No ano passado, o parlamento canadiano decidiu, na sequência de uma iniciativa popular, eliminar os impostos sobre os produtos de higiene feminina. As normas da UE proíbem a fixação do IVA em 0%.

Para a impulsionadora do projeto, a jornalistas Celia Blanca, é "uma incongruência" que tampões, pensos higiénicos e copos menstruais não sejam considerados artigos de primeira necessidade.

"Continuar a considerar que as mulheres têm menstruação porque querem e taxar a 10%, parece-me o mesmo que levar uma bofetada por ser mulher", denunciou Blanco.

Para uma família com três a quatro mulheres com idades entre os 12 e os 50 anos - uma situação comum nos agregados familiares espanhóis -, o custo anual em produtos de higiene feminina pode rondar os 200 euros.

Tal como em vários locais do mundo onde as mulheres são isoladas quando estão menstruadas, Blanco vê a mesma exclusão "quando o IVA dos tampões é o mesmo do caviar".

Com a iniciativa pretende-se introduzir o tema da saúde feminina na agenda política: "Temos que exigir aos nossos políticos que saibam o que é ser mulher no nosso país", sublinhou.

Com Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18