sicnot

Perfil

Mundo

Novos confrontos nas proximidades de base de missão da ONU no Sudão do Sul

As tropas leais ao Presidente sul-sudanês, Salva Kiir, e as fiéis ao seu rival, o vice-presidente, Riek Machar, protagonizaram novos confrontos perto de uma base da missão da ONU no Sudão do Sul em Juba, segundo a organização.

Reuters

Além disso, segundo o diário National Courier, ouviram-se disparos esporádicos na zona de New Site e houve confrontos numa área próxima de um posto de controlo.

A missão da ONU no Sudão do Sul (UNMISS) apelou, no domingo, às partes envolvidas no conflito para cessarem os ataques perto das suas instalações, onde se encontram refugiadas centenas de pessoas e onde procuraram abrigo inúmeros deslocados após o novo surto de violência, que ameaça a frágil paz no país.

"As Nações Unidas instam todas as partes a respeitar a condição da ONU e condenam qualquer tentativa deliberada de ataque às suas instalações e ao seu pessoal", indicou a missão internacional em comunicado.

Desde quinta-feira, mais de 269 pessoas morreram em confrontos entre as forças governamentais e opositoras.

O governo do Presidente Salva Kiir e a oposição armada liderada por Riek Machar alcançaram um acordo de paz em agosto de 2015 e formaram um governo de unidade nacional em abril último.

O acordo prevê que as forças leais aos dois dirigentes políticos sejam integradas no exército sul-sudanês.

A guerra civil no Sudão do Sul, que no domingo cumpriu cinco anos de existência, sendo o país mais jovem do mundo, começou com combates no seio das forças armadas, minadas por conflitos políticos e étnicos alimentados pela rivalidade entre o Presidente Salva Kiir, da etnia dinka, e o seu ex-vice-presidente Riek Machar, da tribo nuer.

A continuação dos combates em diversas zonas do país entre milícias com interesses locais levantam dúvidas sobre a capacidade do acordo de paz resolver o conflito étnico e de poder do Sudão do Sul.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".