sicnot

Perfil

Mundo

Protestos nos EUA já têm fotografia emblemática

A fotografia de uma cidadã anónima, na manifestação "Black Lives Matter" em Baton Rouge, no Louisiana, está a tornar-se o símbolo dos protestos que têm eclodido nos EUA, entre manifestantes afro-americanos e as autoridades policiais.

© Jonathan Bachman / Reuters

Num ambiente de acentuada tensão entre manifestantes e polícia, uma mulher jovem, de vestido e aparência calma, apresenta-se frente a dois agentes. A fotografia foi tirada por Jonathan Bachman, da agência Reuters.

A mulher, cuja identidade não foi revelada, ter-se-à recusado a abandonar o local, quando a polícia de choque tentava forçar os manifestantes a sair. Foi mais tarde detida, mas acabou por ser libertada, de acordo com o New York Daily News.

"Tudi aconteceu muito rápido, mas pude perceber que ela não se ia mexer e parecia que estava a afirmar uma posição (...). E pareceu-me um bom local para tirar uma foto (...). Não foi violento. Ela não disse nada, não resistiu e a polícia não a puxou dali", contou o fotógrafo à imprensa.

Durante o fim de semana, várias cidades dos Estados Unidos viveram confrontos causados pela tensão racial - 200 pessoas foram detidas e cinco polícias ficaram feridos, na sequência dos protestos pelas mortes causadas por agentes da autoridade.

  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.