sicnot

Perfil

Mundo

Avião solar aterra no Egito na penúltima paragem da volta ao mundo

O avião Impulse II, movido exclusivamente a energia solar, aterrou hoje no Cairo (Egito), a penúltima paragem antes de concluir a volta ao mundo, dois dias depois de ter descolado de Sevilha (Espanha).

Avião Impulse II em Sevilha, antes da partida para o Cairo.

Avião Impulse II em Sevilha, antes da partida para o Cairo.

© Marcelo del Pozo / Reuters

O avião experimental completou o primeiro voo transatlântico ao aterrar em Espanha no mês passado, procedente de Nova Iorque, e vai prosseguir viagem do Cairo rumo a Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos, onde iniciou a sua histórica viagem, a 09 de março de 2015.

O projeto Solar Impulse II - liderado por dois pilotos suíços, Bertrand Piccard e André Borschberg - pretende consciencializar e convencer os diferentes líderes políticos da necessidade de implementar soluções tecnológicas que permitam preservar o meio ambiente.

Lusa

  • Solar Impulse 2 chega a Espanha após atravessar o Atlântico
    1:15

    Mundo

    O avião Solar Impulse 2, que voa unicamente com energia solar, aterrou esta manhã no aeroporto de San Pablo, em Sevilha, Espanha, após cruzar o Atlântico Norte e superar uma das mais difíceis etapas da sua volta ao mundo. O avião, pilotado pelo suíço Bertrand Piccard, voa sem combustível, apenas com energia solar, e demorou dois dias, 23 horas e dez minutos para cruzar o Atlântico Norte, depois de ter partido, na segunda-feira, do aeroporto JFK de Nova Iorque.

  • A inédita entrevista do príncipe Harry a Barack Obama
    0:47

    Mundo

    Foi divulgado um vídeo pouco habitual, onde aparece o príncipe Harry a entrevistar Barack Obama para um programa de rádio. A conversa foi gravada em setembro, durante um evento desportivo para militares com deficiência, e será transmitida na íntegra no dia 27 de dezembro.

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01
  • Seis meses depois da tragédia de Pedrógão Grande
    5:55

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assinalou-se este domingo meio ano desde que o país ficou em choque com o rasto de morte e destruição causado pelos incêndios florestais na região centro. A tragédia de Pedrogão Grande foi há precisamente seis meses. Enquanto segue a reconstrução no tempo possível e com o Natal à porta, a vida prossegue, mas não voltará a ser mesma.