sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas e políticos de 22 países defendem intervenção urgente na Antártida

Cientistas polares e responsáveis políticos de 22 países alertam para a necessidade de definir "novas áreas de intervenção urgente na Antártida", revela a Universidade de Coimbra (UC) numa nota hoje divulgada.

(AP/Arquivo)

(AP/Arquivo)

Charles Hanley

"É urgente identificar quais os principais processos físicos que afetam o Oceano Antártico", designadamente o aumento da temperatura, a acidificação e o degelo, sustentam os especialistas e responsáveis políticos, de acordo com um artigo publicado no jornal científico Frontiers in Marine Science, citado pela UC.

É necessário investigar a estrutura e funcionamento da cadeia alimentar marinha, obtendo "informação básica de grupos de animais", e desenvolver tecnologias e métodos amigos do ambiente, salienta o artigo.

Os métodos amigos do ambiente devem ser alcançados através de "programas de monitorização internacionais e de longa duração e submarinos autónomos que cheguem a áreas ainda por explorar debaixo do gelo", preconizam os cientistas, reunidos no Scientific Committee on Antarctic Research.

No encontro daquele comité científico participaram 75 cientistas e decisores políticos de 22 países, entre os quais José Xavier, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC.

Os especialistas defendem ainda a necessidade de "direcionar resultados científicos para desenvolvimentos de políticas para a gestão e proteção do meio ambiente marinho" e para "estabelecer esforços para um melhor conhecimento sobre a região Antártida através de iniciativas educacionais".

Durante a reunião, os cientistas centraram-se no estudo dos "grandes problemas que afetam a Antártida, uma das regiões do planeta que tem mostrado sinais de mudanças ambientais muito rápidas e profundas".

O cientista polar da UC José Xavier, citado pela UC, considera que este comité ainda tem muito trabalho pela frente porque "muitas questões científicas importantes continuam por responder, tais como, por exemplo, quais as espécies que podem levar a compreender o funcionamento do Oceano Antártico e que espécies poderão extinguir-se no futuro próximo".

Com Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.