sicnot

Perfil

Mundo

Imperador japonês Akihito vai abdicar "nos próximos anos"

O imperador do Japão, Akihito, 82 anos, tem previsto abdicar do Trono de Crisântemo "nos próximos anos", disseram hoje fontes da Agência da Casa Imperial nipónica, citadas pela cadeia de televisão estatal NHK.

© Thomas Peter / Reuters

Segundo as fontes, Akihito terá já comunicado a intenção à mulher, a imperatriz Michiko, e ao filho e príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, 56 anos, que acataram a decisão, tomada na sequência do frágil estado de saúde, que o impede de desempenhar plenamente as suas funções.

As fontes adiantaram que o imperador japonês já começou os preparativos para garantir uma sucessão estável.

A Agência da Casa Imperial nipónica está, por outro lado, a planear uma entrevista para que Akihito explique a decisão ao povo japonês.

O estado de saúde do imperador agravou-se nos últimos anos, depois de uma operação ao coração - foi-lhe colocado um "bypass" em 2012 -, padecendo igualmente de um cancro na próstata desde 2003.

Face à idade avançada e aos problemas de saúde, a opinião pública nipónica tem debatido nos últimos anos a possibilidade de reduzir o horário de trabalho de Akihito, que já delegou no príncipe herdeiro Naruhito algumas das suas obrigações de agenda.

O reinado de Akihito tem-se prolongado ao longo de quase três décadas.

Akihito chegou ao trono aos 55 anos, a 07 de janeiro de 1989, após a morte do pai, o imperador Hirohito.

O atual imperador japonês foi o primeiro a chegar ao trono desde a entrada em vigor da nova Constituição nipónica, aprovada em 1947, após o fim da ocupação norte-americana na sequência do final da Segunda Guerra Mundial.

Se Akihito abdicar, será a primeira vez que ocorre tal situação na linha de sucessão imperial nipónica desde a do imperador Kokaku, em 1817.

Fontes governamentais indicaram à NHK que a Lei da Sucessão em vigor no Japão não contempla o ato de abdicação, pelo que seria necessário proceder a uma revisão para especificar que o cargo deve recair em Naruhito após a renúncia do pai.

Os cinco anteriores imperadores do Trono do Crisântemo morrerem em funções: Hirohito (1926/1989), Taisho (1912/1926), Meiji (1867/1912), Komei (1846/1867) e Ninko (1817-1846).

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.