sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 300 mortos e 42 mil deslocados por combates no Sudão do Sul

​Morreram, pelo menos, 300 pessoas nos combates que se iniciaram há uma semana na capital sul-sudanesa (Juba) e que provocaram também 42 mil deslocados, indicou hoje a ONU num encontro com jornalistas em Genebra.

As Nações Unidas não dispõem de dados sobre os feridos dos confrontos, de 8 a 11 de julho, entre forças fieis ao presidente Salva Kiir e ex-rebeldes que responderão a ordens do vice-presidente Riek Machar. Os combates colocam seriamente em perigo um acordo de paz assinado em agosto de 2015.

O número de mortos foi referido por um porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tarik Jasarevic, enquanto o número de deslocados foi indicado por um porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), William Spindler.

No entanto, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), muitos dos que fugiram dos combates já conseguiram regressar às suas casas, pelo que o número de deslocados estará agora perto de 13 mil.

"O acesso humanitário às pessoas afetadas melhorou bastante desde segunda-feira. Mas só poderá continuar se o cessar-fogo (decretado na segunda-feira) se mantiver", indicou o responsável das operações da OIM no Sudão do Sul, John McCue, citado num comunicado.

Independente desde 2011 após uma cisão do Sudão, o Sudão do Sul está dilacerado por uma guerra civil marcada por massacres interétnicos que causou dezenas de milhares de mortos e perto de três milhões de deslocados desde dezembro de 2013.

Antes de dezembro de 2013, cerca de 114 mil sul-sudaneses encontravam-se nos países vizinhos, segundo a ONU. O número de refugiados subiu entretanto para perto de 836 mil, dos quais 285 mil se encontram na Etiópia, 231 mil no Sudão, 222 mil no Uganda e 103 mil no Quénia, de acordo com dados divulgados hoje pelo ACNUR.

Com Lusa

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.