sicnot

Perfil

Mundo

Movimento de extrema-direita Pegida pretende fundar partido na Alemanha

O movimento anti-islâmico e anti-imigração alemão Pegida anunciou hoje que pretende fundar um partido político, mas sublinhou que não irá procurar atrair votos do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD).

Jens Meyer

O novo partido poderá chamar-se Partido Popular para a Liberdade e Democracia Direta (FDDV, acrónimo em alemão), disse o líder do grupo, Lutz Bachmann, numa reunião em Dresden.

Bachmann - condenado e multado em maio por incitar o ódio racial por se referir aos refugiados como "gado" e "escória" nos meios de comunicação social - insistiu que não tem a intenção de permanecer na liderança.

As movimentações para formar um partido acontecem na altura em que as autoridades estão a ponderar proibir a associação original, que foi criada baseando-se no medo do crescimento do extremismo.

Bachmann insistiu que o novo partido não procuraria ofuscar o AfD, que ganhou mais de 10 por cento de apoio nos últimos meses.

O AfD foi fundado como um partido de protesto eurocético em 2013, mas agora alinha principalmente contra o Islão e a abertura da Alemanha aos refugiados, que no ano passado reuniu mais de um milhão de requerentes de asilo naquele país.

"Nós devemos apoiar a AfD nas próximas eleições (previstas para 2017)", garantiu Bachmann.

O líder do Pegida acrescentou que as relações entre os dois movimentos de extrema-direita são principalmente boas e que "só em conjunto" poderiam servir a sua causa mútua.

Ruturas no AfD têm surgido nos últimos meses, com um aumento da divisão na liderança, havendo também diferenças dentro da Alternativa para a Alemanha sobre a colaboração com o movimento Pegida.

Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Erdogan apela ao reconhecimento de Jerusalém Oriental como capital
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28