sicnot

Perfil

Mundo

Terrorismo na agenda da reunião de MNE da UE a pedido de Paris

A luta antiterrorista entrou na agenda da reunião de hoje, em Bruxelas, dos chefes da diplomacia da União Europeia (UE) a pedido do governo francês, que enfrenta as consequências do atentado de quinta-feira, em Nice.

© Francois Lenoir / Reuters

O pedido de Paris foi anunciado na rede social Twitter do serviço de imprensa do Conselho da UE, um dia depois de um homem ter lançado um camião sobre uma multidão que festejava o feriado nacional francês, na avenida marginal de Nice.

O balanço provisório do ataque contabiliza 84 mortos, entre os quais 10 crianças e adolescentes, e mais de 200 feridos, incluindo um português, segundo o registo oficial. O ataque foi reivindicado pelos extremistas do Daesh.

Com a presença da secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, em representação do ministro dos Negócios Estrangeiros, em visita a Moscovo, os 28 têm ainda na agenda um encontro com o seu homólogo norte-americano, John Kerry.

A reunião decorrerá sob a forma de um pequeno-almoço de trabalho promovido pela Alta Representante da UE para a Política Externa e de Segurança, Federica Mogherini.

Em destaque estará ainda a estreia de Boris Johnson, antigo autarca de Londres e um dos rostos da campanha pela saída do Reino Unido no referendo de 23 de junho.

Johnson chega agora a Bruxelas como chefe da diplomacia do novo governo liderado por Theresa May depois da demissão de David Cameron, por a opção pela saída dos britânicos do espaço comunitário ter saído vencedora da votação.

O Conselho terá início pelas 10:30 locais (09:30 de Lisboa) com um debate sobre a América Latina e Caraíbas, que incidirá nomeadamente sobre relações futuras com Cuba, o processo de paz na Colômbia, a Argentina e a situação na Venezuela e serve de preparação para a reunião dos Ministros dos Negócios Estrangeiros UE-Comunidade dos Estados da América Latina e das Caraíbas, na República Dominicana, em outubro.

As relações com a China, a crise migratória, assim como os recentes acontecimentos na Turquia, embora a tentativa de golpe de Estado do fim-de-semana não conste da agenda oficial, também devem merecer atenção.

Lusa

  • Cinquenta e duas das vítimas do atentado de Nice em risco de vida
    3:07

    Atentado em Nice

    O Daesh reivindicou o ataque de quinta-feira à noite em Nice. A informação foi avançada pela agência de notícias ligada aos jihadistas no mesmo dia em que as autoridades francesas anunciaram a detenção de quatro suspeitos por ligações ao homicida que conduzia o camião. O último balanço aponta para 84 mortos e mais de 200 feridos, entre os quais 52 pessoas que estão entre a vida e a morte.

  • Erdogan acusa mentores do golpe de serem seguidores de Fethullah Gülen
    1:57

    Mundo

    O golpe de Estado falhado na Turquia foi organizado por um grupo autodenominado "Movimento para a Paz na Nação". Defende mais respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades. É inspirado pelo clérigo Fethullah Gülen exilado nos Estados Unidos e acusado de traição. As organizações próximas a Gülen já negaram qualquer ligação ao golpe, mas o Presidente Erdogan atribui-lhes a culpa.

  • A cronologia de um golpe de Estado falhado
    3:14

    Mundo

    A tentativa de golpe de Estado na Turquia começou por volta das oito e meia da noite, hora de lisboa. As forças fiéis ao Presidente turco conseguiram controlar os revoltosos ao fim de duas horas, e depois de violentos confrontos. Num gesto invulgar, a população veio para as ruas para tentar conter o golpe de Estado.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Primeiro-ministro sueco "surpreendido" com as declarações de Trump
    0:53

    Mundo

    O primeiro-ministro sueco ficou surpreendido com as declarações de Donald Trump, que, no fim de semana, se referiu a um suposto ataque terrorista no país escandinavo, relacionado com a imigração. Stefan Löfven fala na responsabilidade de usar os factos correctamente e diz que é preciso verificar a informação que é divulgada.

  • Angelina emociona-se ao falar da separação de Brad Pitt
    1:25
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46