sicnot

Perfil

Mundo

Urso polar vive em centro comercial na China ao serviço das selfies

Um urso polar vive num centro comercial em Guangzhou, na China, para que quem lá passe possa tirar selfies com o animal. Ativistas dos direitos dos animais estão a pedir aos clientes para boicotarem o centro comercial.

Uma petição online foi criada em março pela organização Animals Asia, a apelar à libertação do animal, que não está sozinho neste "zoo" improvisado. Um outro urso polar, seis baleias pequenas, cinco leões marinhos e um lobo vivem também no centro comercial, dentro de uma tração denominada GrandView Aquarium, criada para que os visitantes possam tirar selfies.

O GrandView Aquarium já foi mesmo classificado de “um dos zoos mais tristes do mundo”, sendo que os seus animais são negligenciados, sofrem de falta de estímulos e de luz natural.

O urso polar branco está no centro da controvérsia, depois de se terem tornado virais na Internet vídeos e fotografias do animal, de ar triste e cansado, com incessantes toques no vidro dados pelos visitantes para tirarem selfies.

"Não existem desculpas para um animal estar preso desta maneira. Os ursos polares precisam de muito espaço, o suficiente para que consigam andar, correr e caçar", declarou David Neale, diretor da associação Asia Animal Welfare, ao Mirror.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.