sicnot

Perfil

Mundo

Três militares franceses mortos em missão na Líbia

Três militares franceses foram mortos na Líbia, indicou hoje o Ministério da Defesa francês, que confirmou, assim, pela primeira, vez a presença de soldados gauleses em território líbio.

© POOL New / Reuters

"O Ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian, lamenta a perda de três sub-oficiais que morreram em serviço na Líbia", indica o ministério num comunicado, em que não adianta mais pormenores sobre o incidente.

"(O ministro) saúda a coragem e o denodo desses militares ao serviço da França que cumprem, todos os dias, missões perigosas contra o terrorismo", acrescenta-se no documento.

Até hoje, a França apenas admitia que os seus aviões militares sobrevoavam a Líbia para recolher informações, nunca tendo confirmado a presença de forças especiais francesas, lembrou hoje o diário parisiense Le Monde.

Após a queda do regime de Muammar Kadhafi, em agosto de 2011, a Líbia está entregue a milícias armadas e minada por lutas pelo poder e por violência que têm favorecido o incremento dos jihadistas do grupo Daesh.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.