sicnot

Perfil

Mundo

Turquia bloqueia Wikileaks por divulgar 300 mil emails do partido de Erdogan

© Murad Sezer / Reuters

A Wikileaks divulgou hoje quase 300 mil emails associados ao AKP, o partido do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e a Turquia bloqueou de imediato o acesso ao site.

A Wikileaks indicou que os emails são provenientes do domínio na internet do partido, e que estão relacionados, sobretudo, com assuntos internacionais e não com "os assuntos internos mais sensíveis", de acordo com a agência France Presse.

A mesma fonte acrescentou que os emails datam de entre 2010 e 6 de julho deste ano, e foram obtidos antes da tentativa de golpe de Estado de 16 deste mês.

"A Wikileaks decidiu antecipar o calendário da sua publicação em resposta às purgas pós-golpe por parte do Governo", afirmou o portal comprometido com a defesa da transparência num comunicado citado pela AFP.

A fonte dos emails "não está relacionada, em plano algum, com os elementos por detrás da tentativa de golpe, ou com qualquer partido político rival ou Estado", acrescenta a nota.

Uma fonte oficial turca fez saber que o site da Wikileaks está a ser bloqueado "devido à violação de privacidade e publicação de dados obtidos de forma ilegal", indicou a AFP sem identificar a fonte.

A Turquia foi alvo de uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira à noite e madrugada de sábado, mas o Presidente, Recep Erdogan, e Governo recuperaram o controlo do país no sábado.

O último balanço do Governo turco aponta para 308 mortos entre revoltosos, civis e forças leais a Erdogan e mais de 1.400 feridos.

Segundo o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, mais de 7.500 pessoas foram detidas no âmbito do inquérito à tentativa de golpe de Estado na Turquia, incluindo 6.038 militares, 755 magistrados e 100 agentes da polícia.

Fundado em 2006 e lançado no ano seguinte pelo australiano, ex-pirata informático, Julian Assange, a Wikileaks ganhou notoriedade em 2010 quando divulgou um vídeo de um ataque aéreo de um helicóptero norte-americano em Bagdad, que matou dois jornalistas da agência de notícias Reuters.

Mais tarde no mesmo ano, o site divulgou dezenas de milhar de documentos militares internos norte-americanos relacionados com as guerras do Afeganistão e do Iraque, com detalhes de casos de abusos dos Direitos Humanos, tortura e mortes de civis.

Posteriormente, a Wikileaks divulgou 250 mil telegramas diplomáticos de embaixadas dos Estados Unidos em todo o mundo, publicação que causou embaraços sérios à política externa dos Estados Unidos.

Lusa

wikileaks.org/akp-emails

wikileaks.org/akp-emails

  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.