sicnot

Perfil

Mundo

Avião solar inicia última etapa para concluir volta ao mundo

Solar Impulse 2.

© Handout . / Reuters

O avião Solar Impulse II, movido exclusivamente a energia solar, descolou hoje do Cairo rumo a Abu Dhabi, naquela que é a última etapa para concluir a volta ao mundo que iniciou em março de 2015.

O Solar Impulse II saiu do aeroporto do Cairo à 01:00 local (meia-noite em Lisboa), como estava previsto, e o voo até aos Emirados Árabes Unidos durará 48 horas.

Quando aterrar em Abu Dhabi, o Solar Impulse II terá percorrido mais de 40 mil quilómetros e sobrevoado o mar da Arábia, a Índia, a Birmânia, a China, os oceanos Pacífico e Atlântico, os Estados Unidos da América, o sul da Europa e o norte de África.

O projeto Solar Impulse II - liderado por dois pilotos suíços, Bertrand Piccard e André Borschberg - pretende consciencializar e convencer os diferentes líderes políticos da necessidade de optar por soluções tecnológicas que preservam o ambiente.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".