sicnot

Perfil

Mundo

Escritor Frederick Forsyth apoia saída da UE contra os profetas da desgraça

Reuters

Os profetas da desgraça que esperam a catástrofe provocada pela saída do Reino Unido da União Europeia "estão longe da razão", disse hoje à Lusa o romancista britânico Frederick Forsyth, que esteve empenhadamente envolvido na campanha pelo Brexit.

Forsyth, 78 anos, autor de livros como "Chacal", "Odessa" ou "Cobra", esteve envolvido diretamente na campanha do referendo que se realizou em junho passado no Reino Unido e que deu a vitória aos apoiantes do 'Brexit'.

"Agora, teoricamente, temos de invocar o artigo 50 do Tratado de Lisboa. Pensar-se que isto pode acontecer numa semana ou num mês é treta. Implica muitas negociações porque nós estivemos dentro [da UE] durante décadas e não se desmantela este enorme edifício burocrático numa semana. Não pode ser feito. Vamos negociar e todos os profetas que preveem catástrofes e desgraças vão ver que não têm razão. Nada disso vai acontecer", disse à Lusa Frederick Forsyth, que critica a forma de "funcionamento" do bloco europeu.

"O Governo supremo da União Europeia é a Comissão Europeia, mas a comissão não foi eleita pelos cidadãos", acusou Forsyth, frisando que apoia o 'Brexit' porque "simplesmente defende" os valores da democracia.

"Temos um sistema que se chama democracia, que eu apoio. Nós, no Reino Unido, acreditamos que inventámos a democracia moderna. Lutámos durante séculos para conseguirmos chegar à democracia e lutámos durante décadas para implementar o sistema. Depois, tivemos de lutar numa guerra (1939-1945), durante o meu período de vida, para defender a democracia", justificou o autor, reforçando que a Comissão Europeia tem vindo a afastar-se dos valores iniciais.

Na opinião do escritor, "a democracia não é um sistema de governo diferente é o único sistema governamental aceitável" e o funcionamento atual da UE "não é o sistema que foi escolhido inicialmente por Jean Monet, um dos fundadores da União Europeia".

Por outro lado, o romancista britânico mostrou-se preocupado com as mudanças registadas após o fim da Guerra Fria (1989), afirmando que, apesar de a Rússia ser "hostil e de provocar, não é tão perigosa como se pensa", pelo simples facto de ter "uma economia pequena", quando comparada com a União Europeia ou com os Estados Unidos.

"Eu não vejo a Rússia como o perigo capaz de desestabilizar as sociedades europeias. O perigo é o terrorismo", referiu o escritor, acrescentando que a crise dos refugiados está também a afetar a Europa Ocidental.

Frederick Forsyth disse que "já chegaram dois milhões de pessoas e podem chegar mais quatro ou cinco milhões de e isso pode constituir um perigo social"

"Isto não pode continuar, não temos instalações para mais quatro ou cinco milhões de refugiados, assim como não existem meios de segurança para dispersar o terrorismo islâmico", declarou, considerando as "Primaveras Árabes" como um desastre e que todas as intervenções da Europa "tornaram as coisas ainda piores"

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Passageiros do voo da Southwest Airlines usaram as máscaras de oxigénio ao contrário

    Mundo

    Uma pessoa morreu e sete outras ficaram feridas esta terça-feira depois de um avião da Southwest Airlines ter aterrado de emergência no aeroporto de Filadélfia, nos Estados Unidos. Ao longo da semana várias pessoas ligadas à aviação fizeram comentários sobre a forma como os passageiros utilizaram as máscaras de oxigénio, como é o caso de Bobby Laurie, um ex-comissário de bordo.

    SIC

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Cultura

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Mágico comove audiência do Britain's Got Talent com a história de cancro da mulher e da filha
    5:16