sicnot

Perfil

Mundo

Snowden cria capa de telemóvel à prova de espiões

Andrew Huang / Edward Snowden

Edward Snowden e o hacker Andrew "Bunnie" Huang criaram uma capa de telemóvel que, garantem, é à prova de espiões. O objetivo é proteger as pessoas de serem digitalmente espiadas, alertando-as quando o seu telefone estiver a receber ou a enviar informação sem o seu conhecimento ou permissão.

No Laboratório de Media do MIT, Snowden e o famoso hacker Andrew "Bunnie" Huang apresentaram uma capa de telefone que se liga ao aparelho e monitoriza os sinais elétricos, de modo a perceber se as antenas internas estão ou não a transmitir informação.

"Um bom jornalista no lugar certo à hora certa pode mudar a história. Isto faz deles um alvo e cada vez mais as suas ferramentas estão a ser usadas contra eles", disse Snowden numa ligação vídeo, a partir do Laboratório do MIT.

A "capa" fica colocada por detrás da lente da câmara e fica ligada ao hardware do telefone, via cartão SIM. Desta forma, monitoriza os sinais emitidos por Bluetooth, wi-fi ou outras ligações elétricas.

Inicialmente, foi desenhada tendo em mente o iPhone 6, mas deverá sevrir em qualquer smartphone, garantem Snowden e Huang.

Os dois esperam construir um protótipo no próximo ano e eventualmente fabricar iPhones modificados na China para fornecer aos jornalistas, com o financiamento da Fundação Liberdade de Imprensa.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19