sicnot

Perfil

Mundo

Agência Espacial Europeia corta contacto com sonda Rosetta

© NASA NASA / Reuters

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) cortou hoje as comunicações com o módulo de aterragem Philae, parte da sonda espacial Rosetta, depois de um ano sem receber sinais.

A interface de comunicações (ESS) entre Rosetta e Philae foi desligada, visando poupar energia para continuação das operações científicas nos últimos dois meses até ao final da missão Rosetta, que explora um cometa.

"Temos de maximizar energia disponível para os instrumentos científicos de Rosetta e por isso não tivemos escolha senão desligar a ESS", disse Mark McCaughrean da Agência Espacial Europeia à agência de notícias AFP.

A sonda Rosetta vai continuar em órbita do cometa 67P/ Churyumov-Gerasimenko, que se desloca entre as óbritas de Terra e de Júpiter, durante mais dois meses.

"A energia vai cada vez diminuir mais, e agora o foco vira-se totalmente para Rosetta, cujas missões científicas muito bem-sucedidas vão acabar a 30 de setemebro", disse McCaughrean.

Nos finais deste mês, o módulo vai encontrar-se a cerca de 520 milhões de quilómetros do sol, o que vai provocar grande perda de energia.

O módulo de aterragem Philae foi lançado em março de 2004 com a sonda Rosetta, como parte de uma misssão da ESA no valor de 1.3 mil milhões de euros.

Os aparelhos viajaram juntos 6.5 mil milhões de quilómetros antes de entrarem na órbita do cometa 67P em agosto de 2014.

Atingida a órbita, o módulo de aterragem separou-se da nave a 12 de novembro de 2014 e pousou no cometa Churyumov-Gerasimenko, tornando-se o primeiro objeto artificial e controlado a pousar na superfície de um cometa.

O Philae funcionou durante 60 horas a enviar dados recolhidos, mas estando privado de luz solar, entrou em hibernação até junho de 2015, quando teve a bateria recarregada pelo sol e enviou uma mensagem de dois minutos via Rosetta.

O módulo deixou de dar sinais a 09 de julho de 2015 e os cientistas consideraram ter passado a um estado hibernação eterna, mas a ESS ainda não tinha sido desligada, caso as comunicações voltassem a ser possíveis.

O Philae tinha uma conta de Twitter e um desenho animado dedicados a si, seguidos por públicos de todas as idades.

A conta de Twitter dedicada ao Philae já escreveu uma publicação. "É hora para eu dizer adeus", pode ler-se na mensagem.

"Toda a gente envolvida fica extremamente triste, com certeza, mas muito orgulhosa por tudo o que foi feito nesta missão especial", disse McCaughrean, assegurando que os dados enviados por Philae e Rosetta constituem trabalho de análise por vários anos.


Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.