sicnot

Perfil

Mundo

Casal indiano agredido até à morte por causa de dívida de 20 cêntimos

Um comerciante armado com um machado agrediu até à morte um casal no norte da Índia por não terem pago uma dívida de 20 cêntimos, disse a polícia.

O casal de meia-idade, do estado de Uttar Pradesh e que pertencia à casta mais baixa Dalit, estava a ir para casa quando o comerciante lhes pediu para pagarem a dívida de 15 rupias (0,20 euros).

"O dono da loja pediu o dinheiro mas eles suplicaram que os deixasse pagar mais tarde. Ele ficou enfurecido e atacou-os com um machado", disse à agência AFP, o oficial de investigação do distrito de Mainpuri, Arun Kumar.

O oficial disse que o casal comprou bens da loja na semana passada com a promessa de pagar ao lojista de 60 anos dentro de uma semana.

O comerciante foi preso logo depois do incidente e a arma do crime foi recuperada.

Centenas de pessoas são mortas na Índia todos os anos por causa de provocações repentinas, muitas vezes triviais.

Em 2014, quase 15% dos assassinatos em Nova Deli não tiveram qualquer motivo, segundo a polícia, e foram quase todos cometidos por pessoas que não são criminosas, apenas tiveram um acesso de raiva.

Mais de 33.000 pessoas foram mortas na Índia em 2014, segundo os números mais recentes publicados pelo gabinete nacional de registos criminais.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.