sicnot

Perfil

Mundo

Frente al-Nusra anuncia separação da Al-Qaeda

O chefe da Frente al-Nusra, Abu Mohammad al-Jolani, anunciou a desvinculação deste ramo sírio da Al-Qaeda com a rede jihadista, numa inédita aparição através de um registo difundido pela cadeia televisiva Al-Jazeera.

"Agradecemos aos comandantes da Al-Qaeda por terem entendido a necessidade de cortar as relações", indicou o chefe do segundo mais importante grupo jihadista da Síria.

Em paralelo, anunciou que o seu grupo "já não atuará sob ao designação de Frente al-Nusra" e referiu-se à "criação de uma nova entidade, a Frente Fateh al-Cham [Conquista da Síria, em árabe]".

Afirmou ainda que este grupo "não terá qualquer ligação com partidos estrangeiros".

Abu Mohammad al-Jolani explicou que esta decisão se destina a "fazer calar os pretextos avançados pela comunidade internacional" e dirigidos ao grupo, considerado "terrorista" por Washington.

Esta decisão surge uma semana após o acordo dos chefes da diplomacia russa e norte-americana, Serguei Lavrov e John Kerry, sobre a luta comum contra a Al-Nusra e o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

A Frente Al-Nusra, o mais importante grupo jihadista na Síria após o EI, o seu grande rival, irrompeu oficialmente no conflito sírio em janeiro de 2012, dez meses após o início da revolta contra o regime de Bashar al-Assad, que evoluiu para um devastador conflito.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32