sicnot

Perfil

Mundo

Panamá recebe Jornadas Mundiais da Juventude em 2019

© David W Cerny / Reuters

A próxima edição das Jornadas Mundiais da Juventude vai realizar-se em 2019, no Panamá, anunciou hoje o Papa Francisco na cidade polaca de Cracóvia, onde decorreu a edição deste ano.

"Anuncio-vos com alegria que as próximas Jornadas Mundiais da Juventude - depois das ao nível diocesano - vão realizar-se em 2019, no Panamá", afirmou o pontífice diante de pelo menos 2,5 milhões de jovens peregrinos, segundo os números da organização.

Depois deste anúncio, foi lançada uma enorme chuva de papéis brancos numa cerimónia a que assistiu o Presidente do Panamá, Juan Carlos Varela.

Na missa, o Papa Francisco dirigiu-se ao presidente do Panamá e à sua esposa, Lorena Castillo, que estiveram hoje em Cracóvia, na Polónia, para ouvirem ao vivo o anúncio de que o seu país receberá a próxima edição deste evento religioso, que reúne jovens de todo o mundo durante uma semana.

Depois do anúncio, Francisco convidou a delegação panamiana para ir ao altar e Varela e a mulher trocaram algumas palavras com o pontífice.

Juan Carlos Varela afirmou que o Panamá tem "as portas abertas para receber os milhares de jovens" que irão ao país em 2019 para as próximas Jornadas Mundiais da Juventude.

Lusa

  • Lei que permite a entrada de animais em espaços de restauração gera dúvidas
    2:23

    País

    A lei que permite a entrada de animais de companhia em estabelecimentos de restauração, que entrou hoje em vigor, está a gerar dúvidas para os proprietários. Até ao momento são poucos os estabelecimentos que aderiram e a previsão é para que assim continue. A DECO questionou 1800 pessoas sobre a presença dos animais nos restaurantes e apenas 25% votou a favor.

  • "Isto é a demagogia à solta"
    0:45

    Opinião

    Quem o diz é Luís Marques Mendes a propósito da aprovação esta semana da lei do CDS-PP que elimina o adicional do imposto sobre os combustíveis. O comentador da SIC critica a oposição por ter levado a votação uma lei inconstitucional e acusa ainda os parceiros de Governo de deslealdade. 

    Luís Marques Mendes