sicnot

Perfil

Mundo

Companhia privada autorizada a fazer voos para a Lua

A Lua fotografada pelo astronauta canadiano Chris Hadfield.

© NASA NASA / Reuters

Uma companhia privada norte-americana obteve hoje permissão para enviar um robô para a Lua. É a primeira vez que uma missão espacial privada é autorizada a a voar além da órbita da Terra.

A missão da empresa Moon Express, com lançamento previsto para o próximo ano, pretende transportar para a Lua equipamento para realizar experiências. Mas tem outros objetivos, como por exemplo, levar cinzas de pessoas que queiram o solo lunar como última morada.

A Moon Express é uma das 16 companhias que concorrem ao prémio Google Lunar X, que oferece 18 milhões de euros para a primeira equipa privada que conseguir enviar para a superfície lunar um veículo capaz de se deslocar, pelo menos, 500 metros e difundir para a Terra imagens de alta definição

A Moon Express pretende ainda perfurar a Lua à procura de metais raros e trazê-los para a Terra.

Ilustração do veículo espacial MX-1

Ilustração do veículo espacial MX-1

Moon Express

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.