sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio nas Canárias provocado por homem que fazia as suas necessidades

MIGUEL CALERO

Um incêndio no arquipélago espanhol das Canárias, que matou um guarda-florestal, foi provocado por um alemão que tinha feito as suas necessidades na mata e pegou fogo ao papel higiénico.

Cerca de 700 pessoas foram retiradas, por precaução, das áreas próximas do incêndio, que hoje ao meio-dia tinha consumido cerca de mil hectares, indicou à agência France-Presse um porta-voz dos serviços de emergência das Canárias, arquipélago montanhoso ao largo da costa noroeste africana.

No combate às chamas estavam envolvidos perto de 200 operacionais, seis helicópteros e um hidroavião, acrescentou a mesma fonte.

Um alemão, de 27 anos, foi detido na quarta-feira à tarde por alegadamente ter sido autor do fogo, disse à AFP um porta-voz da Guarda Civil. O homem "declarou aos agentes que provocou o incêndio acidentalmente, depois de ter defecado e ter ateado fogo ao papel higiénico utilizado", de acordo com um comunicado da polícia.

Acusado de ter causado um incêndio florestal por negligência, o alemão deve ser presente a tribunal ainda hoje.

As condições meteorológicas de calor e ventos fortes podem complicar a tarefa das autoridades, admitiu o porta-voz do serviço de urgências.

O Governo espanhol anunciou o envio de nove aviões e helicópteros para combater o incêndio.

O chefe do executivo, Mariano Rajoy, enviou as suas condolências à família da vítima, de 54 anos, numa mensagem publicada na rede social Twitter.

Lusa

  • Roger Moore, o ator que foi 007 e um Santo
    1:26

    Cultura

    Morreu Roger Moore. O ator britânico tinha 89 anos e morreu na Suíça, vítima de cancro. Ficou conhecido pelo mítico papel de James Bond entre os anos 70 e 80, tendo sido o ator que mais tempo se manteve no papel. Em 2003, foi condecorado pela rainha Isabel II e tornou-se Sir Roger Moore.

  • Ucrânia limita utilização do russo na televisão

    Mundo

    O Parlamento da Ucrânia aprovou esta terça-feira uma lei que determina que três quartos dos programas televisivos dos canais nacionais devem ser transmitidos em ucraniano, medida que visa limitar o uso da língua russa naquele país.