sicnot

Perfil

Mundo

Mayor de Londres apela à calma enquanto se investiga ataque com faca

© POOL New / Reuters

O mayor de Londres, Sadiq Khan, instou hoje os londrinos a "manter a calma e permanecer alerta", enquanto decorre a investigação do ataque com faca de quarta-feira à noite, que fez um morto e cinco feridos.

O autarca trabalhista exprimiu a sua solidariedade "com as vítimas do incidente em Russell Square e os seus entes queridos", e sublinhou que a segurança dos londrinos é a sua "prioridade número um".

"Falei com o comissário e o subcomissário, que me asseguram que os nossos agentes da polícia estão a trabalhar muito arduamente para estabelecer exatamente o que se passou e para manter-nos seguros", declarou.

Recordou que um homem foi detido no local do ataque e adiantou que a polícia já falou com o suspeito e está a tentar esclarecer "todos os factos e motivações do ataque.

"Insto todos os londrinos a manter a calma e permanecer alerta. Por favor, denunciem qualquer facto suspeito. Todos temos um papel importante a desempenhar como olhos e ouvidos da Polícia e dos serviços de segurança, para ajudar a proteger a cidade de Londres", acrescentou.

Uma mulher morreu e pelo menos outras cinco pessoas ficaram feridas num ataque com faca no centro de Londres cerca das 22:30 de quarta-feira.

Segundo a Press Association, um homem foi detido depois de a polícia ter disparado contra ele com uma pistola elétrica na sequência do incidente, ocorrido em Russel Square.

Embora não descarte a possibilidade de o ataque estar relacionado com terrorismo, o comissário adjunto de operações especiais da polícia metropolitana, Mark Rowley, informou de madrugada que a "saúde mental" do atacante é a "principal linha de investigação" das autoridades.

Rowley acrescentou que a investigação está a cargo da unidade de homicídios e recebe apoio da equipa antiterrorista.

O caso surge depois de, na quarta-feira, o comissário da polícia, Bernard Hogan-Howe, e Khan anunciarem que mais agentes da polícia armados, até um total de 2.800, vigiariam agora as ruas de Londres, na sequência dos atentados terroristas ocorridos em outras cidades europeias.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.