sicnot

Perfil

Mundo

Detidas mais de 40 pessoas numa operação contra a máfia nos Estados Unidos

(Arquivo/Reuters)

© Stephen Lam / Reuters

As autoridades norte-americanas anunciaram hoje a prisão de mais de 40 pessoas numa operação contra a máfia em cinco estados do país. Todos os detidos estão relacionados com um mesmo grupo criminoso composto por quatro das cinco grandes famílias da "Cosa Nostra" nova-iorquina - Gambino, Genovese, Luchese e Bonanno - e pelos seus parceiros de Filadélfia, segundo uma acusação tornada pública pela Procuradoria federal em Nova Iorque.

Entre outros delitos, a organização com sede na costa leste dos Estados Unidos é acusada de extorsão, fraude, tráfico de armas, contrabando de cigarros e apostas ilegais.

Vários dos detidos estão acusados também por crimes violentos e as autoridades destacam o "clima de medo" imposto pelos alegados mafiosos nas suas comunidades, através do assédio e ameaças.

As detenções foram levadas a cabo nos estados de Nova Iorque, Nova Jersey, Connecticut, Massachusetts e Florida e incluem várias hierarquias, incluindo chefes da organização criminosa.

Segundo a acusação, Pasquale Parrello, Eugene O'Nofrio e Joseph Merlino -- alegado chefe máximo da máfia de Filadélfia- supervisionavam e controlavam as operações do grupo, enquanto outros detidos executavam as ordens.

O processo aberto em Nova Iorque inclui 46 nomes, dos quais 39 foram detidos hoje, enquanto outros já estavam sob custódia e três ainda não foram capturados.

Os acusados, com idades entre 24 e 72 anos, enfrentam penas máximas de 20 anos de prisão.

Além do caso tornado público em Nova Iorque, o estado de Massachussetts acusa cinco alegados membros da família Genovese de vários crimes de extorsão.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.