sicnot

Perfil

Mundo

Detidas mais de 40 pessoas numa operação contra a máfia nos Estados Unidos

(Arquivo/Reuters)

© Stephen Lam / Reuters

As autoridades norte-americanas anunciaram hoje a prisão de mais de 40 pessoas numa operação contra a máfia em cinco estados do país. Todos os detidos estão relacionados com um mesmo grupo criminoso composto por quatro das cinco grandes famílias da "Cosa Nostra" nova-iorquina - Gambino, Genovese, Luchese e Bonanno - e pelos seus parceiros de Filadélfia, segundo uma acusação tornada pública pela Procuradoria federal em Nova Iorque.

Entre outros delitos, a organização com sede na costa leste dos Estados Unidos é acusada de extorsão, fraude, tráfico de armas, contrabando de cigarros e apostas ilegais.

Vários dos detidos estão acusados também por crimes violentos e as autoridades destacam o "clima de medo" imposto pelos alegados mafiosos nas suas comunidades, através do assédio e ameaças.

As detenções foram levadas a cabo nos estados de Nova Iorque, Nova Jersey, Connecticut, Massachusetts e Florida e incluem várias hierarquias, incluindo chefes da organização criminosa.

Segundo a acusação, Pasquale Parrello, Eugene O'Nofrio e Joseph Merlino -- alegado chefe máximo da máfia de Filadélfia- supervisionavam e controlavam as operações do grupo, enquanto outros detidos executavam as ordens.

O processo aberto em Nova Iorque inclui 46 nomes, dos quais 39 foram detidos hoje, enquanto outros já estavam sob custódia e três ainda não foram capturados.

Os acusados, com idades entre 24 e 72 anos, enfrentam penas máximas de 20 anos de prisão.

Além do caso tornado público em Nova Iorque, o estado de Massachussetts acusa cinco alegados membros da família Genovese de vários crimes de extorsão.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41