sicnot

Perfil

Mundo

Guterres cada vez mais perto de chefiar a ONU

Guterres cada vez mais perto de chefiar a ONU

António Guterres está cada vez mais perto de ser Secretário-Geral das Nações Unidas. Na segunda votação realizada esta sexta-feira 11 dos 15 membros do Conselho de Segurança concederam a Guterres o chamado o voto de encorajamento. O processo só deverá estar concluído em Novembro, numa altura em que passarão 15 anos desde que deixou a política nacional.

  • "António Guterres é uma personalidade especialmente qualificada"
    3:18

    Mundo

    António Guterres voltou a ser o mais votado no Conselho de Segurança da ONU, na corrida à sucessão de Ban Ki-moon. O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, diz que o ex-primeiro-ministro "é uma personalidade especialmente qualificada" e que caso a eleição se concretize será "o culminar de uma carreira política marcada por preocupações humanistas".

  • Guterres, o mais votado pela segunda vez
    1:52

    Mundo

    António Guterres voltou a ser o mais votado no Conselho de Segurança da ONU, na corrida à sucessão de Ban Ki-moon. O ex-primeiro-ministro obteve 11 votos de encorajamento em 15 possíveis; dois votos de desencorajamento e três neutros.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.