sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio que lavra há 5 dias em La Palma não chegou às casas

Incêndio que lavra há 5 dias em La Palma não chegou às casas

O incêndio de grandes dimensões na ilha La Palma, nas Canárias, continua por controlar. Por precaução, 500 pessoas foram retiradas durante a noite de duas cidades, Montes de Luna e Tigalate, que acabaram por não ser atingidas pelas chamas.

O presidente do município de Mazo, José María Pestana, indicou hoje à Agência Efe que o fogo, que está ativo na ilha de La Palma desde há cinco dias e já queimou milhares de hectares de terreno, não chegou ao cordão de segurança que se estabeleceu com meios terrestres para evitar que as chamas alcancem as casas.

Desde as 07:45 da manhã que os bombeiros tentam apagar o fogo no vulcão de El Cabrito, por baixo do qual se localizam estes bairros, com cinco meios aéreos, aos quais se foram juntando durante a manhã mais seis, acrescentou o responsável municipal.

Das 500 pessoas que foram retiradas das suas habitações durante a noite, 30 encontram-se no Centro de Cultura Andares e as restantes em casas de familiares ou amigos.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.