sicnot

Perfil

Mundo

Tempestade Earl mata pelo menos 38 pessoas no México

A tempestade tropical Earl provocou deslizamentos de terra que causaram pelo menos 38 mortos no México, segundo um novo balanço das autoridades mexicanas divulgado este domingo.

Um total de 28 pessoas morreram no centro do estado de Puebla, dos quais 15 eram menores de idade, devido a deslizamentos de terra que enterraram várias casas, disse o governo daquele estado, citado pela agência de notícias France Presse (AFP).

Mais 10 pessoas morreram em circunstâncias semelhantes no estado de Veracruz.

Um primeiro balanço dava conta da morte de uma pessoa em Puebla e de seis em Veracruz.

Os danos da tempestade 'Earl' fazem-se sentir, ao mesmo tempo que uma nova tempestade ameaça a costa do Pacífico do país.

A tempestade Javier, que se aproxima do México, deverá trazer chuva e vento fortes para o sudoeste do país nos próximos dias, segundo centros de meteorologia dos Estados Unidos.

O Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami (Estados Unidos), adianta que a tempestade 'Javier' está a cerca de 80 quilómetros sudoeste de Manzanillo, no México.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".