sicnot

Perfil

Mundo

O risco de trabalhar mais de 30 horas por semana depois dos 40

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Trabalhar a tempo inteiro depois dos 40 pode causar danos a nível cerebral. De acordo com uma investigação australiana, trabalhar mais de 30 horas por semana depois dessa idade pode prejudicar a capacidade de raciocínio.

O estudo do Instituto de Investigação Social e Economia Aplicada de Melbourne concluiu que 30 horas de trabalho semanal é o tempo máximo aconselhado para os que têm mais de 40 anos de idade, mais do que isso pode ser prejudicial para a saúde cerebral.

Nos casos dos maiores de 40 em que o trabalho semanal é de 60 horas, a capacidade cognitiva será mais afetada do que em relação aos que não exercem qualquer atividade profissional.

Esta investigação contou com a participação de mais de 3.000 homens e 3.500 mulheres. A pesquisa testou a capacidade de as pessoas lerem em voz alta, recitarem listas de números e responderem ao desafio de preencherem tabelas com letras e números o mais rapidamente possível.

Colin McKenzie, responsável pelo estudo, explicou ao The Guardian, que os testes de leitura medem o nível de conhecimento, os outros dois medem a memória e raciocínio, nomeadamente a capacidade de abstração e raciocínio prático.

Os resultados mais baixos registados nos casos dos maiores de 40 anos que trabalhavam a tempo inteiro, permitiram contrariar a ideia de que trabalhar a tempo inteiro até mais tarde fazia com que as pessoas se mantivessem mentalmente ativas, o que contribuía para uma boa saúde mental.

Os dados variaram também de acordo com as atividades profissionais exercidas, dependendo do facto de serem intelectualmente mais exigentes ou mais sujeitas a situações de stresse.

Segundo este estudo, o segredo para uma boa saúde a nível cerebral depois dos 40 parece estar na redução da atividade laborar. Diminuir o número de horas de trabalho, mas garantir a continuidade da vida profissional.

  • Dirigentes do GD Ribeirão acusados de auxílio à emigração ilegal
    1:34

    Desporto

    Oito dirigentes do Grupo Desportivo de Ribeirão, um clube de Vila Nova de Famalicão que fechou as portas em 2015, foram acusados pelo Ministério Público.Em causa, estão suspeitas de auxílio à emigração ilegal ou falsificação de documentos, relacionadas com transferências de jogadores estrangeiros em situação ilegal.

  • Capacetes Brancos agradecem Óscar para filme sobre a guerra na Síria
    1:34

    Óscares 2017

    O Óscar para melhor documentário curto foi atribuído a um filme sobre a guerra na Síria. "The White Helmets" retrata o trabalho dos Capacetes Brancos, uma equipa de voluntários que ajuda no salvamento e resgate de habitantes sírios atingidos pelo conflito no país. O Fundador dos Capacetes Brancos já veio fazer um agradecimento público pela atribuição deste galardão. Raed Saleh diz que é uma motivação para os voluntários que todos os dias arriscam a vida para salvar outras pessoas.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16