sicnot

Perfil

Mundo

O risco de trabalhar mais de 30 horas por semana depois dos 40

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Trabalhar a tempo inteiro depois dos 40 pode causar danos a nível cerebral. De acordo com uma investigação australiana, trabalhar mais de 30 horas por semana depois dessa idade pode prejudicar a capacidade de raciocínio.

O estudo do Instituto de Investigação Social e Economia Aplicada de Melbourne concluiu que 30 horas de trabalho semanal é o tempo máximo aconselhado para os que têm mais de 40 anos de idade, mais do que isso pode ser prejudicial para a saúde cerebral.

Nos casos dos maiores de 40 em que o trabalho semanal é de 60 horas, a capacidade cognitiva será mais afetada do que em relação aos que não exercem qualquer atividade profissional.

Esta investigação contou com a participação de mais de 3.000 homens e 3.500 mulheres. A pesquisa testou a capacidade de as pessoas lerem em voz alta, recitarem listas de números e responderem ao desafio de preencherem tabelas com letras e números o mais rapidamente possível.

Colin McKenzie, responsável pelo estudo, explicou ao The Guardian, que os testes de leitura medem o nível de conhecimento, os outros dois medem a memória e raciocínio, nomeadamente a capacidade de abstração e raciocínio prático.

Os resultados mais baixos registados nos casos dos maiores de 40 anos que trabalhavam a tempo inteiro, permitiram contrariar a ideia de que trabalhar a tempo inteiro até mais tarde fazia com que as pessoas se mantivessem mentalmente ativas, o que contribuía para uma boa saúde mental.

Os dados variaram também de acordo com as atividades profissionais exercidas, dependendo do facto de serem intelectualmente mais exigentes ou mais sujeitas a situações de stresse.

Segundo este estudo, o segredo para uma boa saúde a nível cerebral depois dos 40 parece estar na redução da atividade laborar. Diminuir o número de horas de trabalho, mas garantir a continuidade da vida profissional.

  • Sporting de Braga afastado da Liga Europa

    Liga Europa

    O Sporting de Braga derrotou esta quinta-feira o Marselha, em Braga, por 1-0, na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa. Um triunfo insuficiente para o apuramento, depois do desaire da equipa minhota em França (3-0).

  • Sporting nos oitavos de final da Liga Europa

    Liga Europa

    O Sporting garantiu esta quinta-feira o apuramento para os oitavos de final da Liga Europa, ao empatar frente ao Astana, em Alvalade, a três golos, na segunda mão dos 16 avos de final, depois de ter triunfado no Cazaquistão por 3-1. Veja ou reveja todos os golos do encontro.

  • Os 36 golos dos 16 avos da Liga Europa

    Liga Europa

    A jornada europeia ficou marcada, no panorama das equipas portuguesas, pelo apuramento do Sporting e pela eliminação do Sporting de Braga. Os leões passam assim a ser o único clube luso em prova na Liga Europa. Nos oitavos de final, o emblema de Alvalade pode encontrar adversários como o Arsenal, o Atlético de Madrid ou o AC Milan. O sorteio realiza-se esta sexta-feira, ao meio-dia. Aqui, veja ou reveja todos os golos da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa.

  • "O dia a dia na Síria também é lutar por um pão"
    10:13

    Mundo

    Desde domingo que os bombardeamentos do regime sírio a Ghouta já fizeram mais de 400 mortos. Ghouta é o último reduto rebelde nos arredores da capital da síria, onde as forças fiéis a Bashar Al Assad iniciaram no domingo uma intervenção militar de larga escala. Cândida Pinto, editora de Internacional da SIC, e a psicóloga Maria Palha, que já esteve na Síria ao serviço dos Médicos Sem Fronteiras, estiveram na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre o assunto.

  • O estranho caso do mergulhador Alejandro Ramos

    Mundo

    O mergulhador Alejandro Ramos tornou-se num caso de investigação do Centro Médico Naval do Peru, depois do seu corpo ter começado a inchar sem qualquer explicação aparente. Isto aconteceu há quatro anos, minutos depois de ter emergido da água, onde tinha estado a trabalhar durante muitas horas.

    SIC

  • Jane Seymour posa para a Playboy aos 67 anos

    Cultura

    Esta é a terceira vez que a atriz inglesa de 67 anos participa numa sessão fotográfica para a revista Playboy. Jane Seymour aproveitou a oportunidade para se juntar ao movimento #MeToo e falar sobre as agressões sexuais que sofreu às mãos de um produtor, em 1972.

  • Não dá mais, Brasil!
    18:00
  • Proposta de um cessar-fogo na Síria sem acordo

    Mundo

    O embaixador da Rússia junto das Nações Unidas afirmou esta quinta-feira que os 15 membros do Conselho de Segurança não alcançaram um acordo para aprovar um cessar-fogo de 30 dias na Síria, proposta negociada há mais de duas semanas.