sicnot

Perfil

Mundo

Referendo revogatório de Nicolás Maduro será em 2017 se oposição cumprir requisitos

© Marco Bello / Reuters

As autoridades eleitorais venezuelanas anunciaram esta terça-feira que se a oposição cumprir com os requisitos legais o próximo passo para ativar o referendo revogatório do Presidente Nicolás Maduro será em finais de outubro e a consulta popular em 2017.

O anúncio foi feito pela presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, durante uma conferência de imprensa em Caracas, em que vincou que aquele organismo "não aceita pressões de ninguém" e que tem como "dever" a "garantia dos direitos constitucionais".

"Se se cumprem todos os requisitos estabelecidos nas normas para a recolha de assinaturas, com todos os aspetos de segurança e técnico-operativos de logística, provavelmente a recolha dos 20% das assinaturas (dos eleitores), terá lugar em finais de outubro", disse.

Por outro lado informou que entre 14 e 16 de setembro o CNE anunciará as datas finais para a recolha as assinaturas e que aquele organismo "não pode acelerar, nem atrasar esse mecanismo constitucional" e que "tergiversar" as normas é "atentar contra a legalidade e golpear o estado de Direito".

A aliança da oposição, Mesa de Unidade Democrática (MUD), espera que as autoridades anunciem a nova data do processo do referendo revogatório para iniciar a recolha de 20% das assinaturas e impressões digitais de cidadãos inscritos no registo eleitoral.

Uma vez anunciada a data, a oposição disporá de três dias úteis para conseguir as assinaturas e impressões digitais de quatro milhões de eleitores, para o que a MUD já pediu ao CNE que habilite 14.500 centros de recolha de assinaturas, sublinhando que também é necessário ativar cerca de 40.000 máquinas eleitorais, distribuídas pelo 24 Estados do país.

Depois da oposição cumprir com a recolha dos quatro milhões de assinaturas e impressões digitais, o CNE dispõe de 15 dias úteis para validar esses procedimentos e depois mais três dias para anunciar a data de realização do referendo revogatório, o que deverá acontecer dentro dos 90 dias contínuos seguintes.

Trata-se de um longo processo, cuja primeira etapa começou com a recolha de 1% das assinaturas dos eleitores, manifestando a intenção de solicitar um referendo revogatório do mandato do chefe de Estado, que entretanto foram validadas pelo CNE.

A oposição quer realizar o referendo revogatório ainda em 2016 e tem acusado o CNE de atrasar a calendarização das diferentes etapas do processo, que começou a 02 maio deste ano, e insiste que em 2004 aquele organismo realizou, em apenas quatro meses, o processo que levou a um referendo revogatório que reconfirmou que o falecido líder socialista Hugo Chávez (presidiu o país entre 1999 e 2013) continuaria a dirigir o país.

Se o referendo se realizar até 10 de janeiro de 2017 deverão ser convocadas novas eleições presidenciais, segundo a legislação venezuelana.

Se o referendo for convocado para depois dessa data, o atual vice-Presidente da Venezuela, Aristóbulo Isturiz, assumirá os destinos do país até 2019, quando termina o atual mandato presidencial.

Simpatizantes de Nicolás Maduro e ministros do seu Governo têm insistido que será impossível realizar o referendo ainda em 2016.

Lusa

  • Temperatura global de 2016 foi a mais alta desde 1880

    Mundo

    A temperatura média na superfície terrestre e oceânica em 2016 foi a mais alta desde 1880, no terceiro ano consecutivo de recordes do aquecimento global, anunciou esta quarta-feira a agência dos Estados Unidos para a atmosfera e os oceanos.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..