sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan vai continuar purgas mesmo que tenha de despedir 200.000 funcionários

O Presidente turco prometeu esta quarta-feira continuar as purgas na administração pública para a "limpar" de simpatizantes da "confraria gülenista", suspeita de organizar o golpe de Estado falhado de 15 de julho, mesmo que tenha de despedir 200.000 funcionários.

"Fá-lo-emos pelo país, pela nação. Os que for preciso, sejam 10.000, 20.000, 50.000, 60.000, 100.000, 200.000. Faremos o que for preciso. Temos de fazer essa limpeza, seja em que instituição for", disse Recep Tayyip Erdogan.

O chefe de Estado turco emitiu estas declarações, citadas pela agência Anadolu, num discurso em que defendeu mão de ferro contra o grupo do teólogo exilado Fethullah Gülen, que o Governo descreve como "organização terrorista" com a sigla FETÖ.

"Estamos decididos a cortar a cabeça dos membros da FETÖ, tal como aos do PKK (a guerrilha curda) ou do Daesh (acrónimo árabe do grupo extremista Estado Islâmico), de forma implacável, de acordo com os princípios do Estado de direito", disse Erdogan.

"No Ocidente, alguns dizem: 'Está a despedir milhares de pessoas e isso preocupa-nos'. Mas disse-lhes por telefone: na reunificação da Alemanha Ocidental e Oriental, fizeram-no a uma escala ainda maior que nós", acrescentou.

Segundo o Presidente turco, a confraria de Gülen não é só uma ameaça para a Turquia, é-o para todo o mundo e pediu aos presentes para fazerem todos os possíveis por combatê-la.

"Podem ser vossos amigos, vossos colegas. Digo-vos que também a esses é preciso denunciar. Devem informar sobre eles os nossos polícias, os nossos sistemas de segurança. Porquê? Porque esse é o dever de todo o patriota", disse Erdogan.

"Eles não vão derrubar este país: nós derrubá-los-emos a eles", asseverou.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.