sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan vai continuar purgas mesmo que tenha de despedir 200.000 funcionários

O Presidente turco prometeu esta quarta-feira continuar as purgas na administração pública para a "limpar" de simpatizantes da "confraria gülenista", suspeita de organizar o golpe de Estado falhado de 15 de julho, mesmo que tenha de despedir 200.000 funcionários.

"Fá-lo-emos pelo país, pela nação. Os que for preciso, sejam 10.000, 20.000, 50.000, 60.000, 100.000, 200.000. Faremos o que for preciso. Temos de fazer essa limpeza, seja em que instituição for", disse Recep Tayyip Erdogan.

O chefe de Estado turco emitiu estas declarações, citadas pela agência Anadolu, num discurso em que defendeu mão de ferro contra o grupo do teólogo exilado Fethullah Gülen, que o Governo descreve como "organização terrorista" com a sigla FETÖ.

"Estamos decididos a cortar a cabeça dos membros da FETÖ, tal como aos do PKK (a guerrilha curda) ou do Daesh (acrónimo árabe do grupo extremista Estado Islâmico), de forma implacável, de acordo com os princípios do Estado de direito", disse Erdogan.

"No Ocidente, alguns dizem: 'Está a despedir milhares de pessoas e isso preocupa-nos'. Mas disse-lhes por telefone: na reunificação da Alemanha Ocidental e Oriental, fizeram-no a uma escala ainda maior que nós", acrescentou.

Segundo o Presidente turco, a confraria de Gülen não é só uma ameaça para a Turquia, é-o para todo o mundo e pediu aos presentes para fazerem todos os possíveis por combatê-la.

"Podem ser vossos amigos, vossos colegas. Digo-vos que também a esses é preciso denunciar. Devem informar sobre eles os nossos polícias, os nossos sistemas de segurança. Porquê? Porque esse é o dever de todo o patriota", disse Erdogan.

"Eles não vão derrubar este país: nós derrubá-los-emos a eles", asseverou.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.