sicnot

Perfil

Mundo

Rússia acusa Ucrânia de preparar ataques terroristas na Crimeia

O Presidente russo, Vladimir Putin, acusou esta quarta-feira o governo ucraniano de preparar "atentados terroristas" para desestabilizar a Crimeia, depois de os serviços secretos russos terem anunciado que desmantelaram vários ataques em preparação.

"Tudo indica que as pessoas que tomaram e mantêm o poder em Kiev, em vez de procurarem compromissos, [...] passaram à prática do terror. É um jogo muito perigoso", disse Putin numa conferência de imprensa, qualificando o relato dos serviços secretos de "notícias muito alarmantes".

Os serviços secretos russos (FSB) anunciaram em comunicado que na madrugada de domingo um dos seus agentes foi morto em confrontos durante uma operação para deter "terroristas" e que na segunda-feira um soldado russo morreu numa troca de tiros com grupos "de sabotagem terrorista" enviados pelo governo ucraniano para a península anexada por Moscovo há dois anos.

Putin assegurou que a morte dos dois russos não ficará sem resposta: "Do lado russo houve baixas, dois soldados mortos. Obviamente não vamos deixar passar uma coisa destas", disse o Presidente.

Segundo o FSB, os ataques em preparação visavam "elementos cruciais de infraestruturas da península".

Um primeiro grupo de "sabotadores terroristas" foi detetado na cidade de Armiansk, na posse de 20 engenhos explosivos artesanais e mais de 40 quilos de TNT.

A secreta russa indicou ter dominado outros dois grupos, em locais que não precisou, apoiados por "disparos cerrados e blindados das forças armadas ucranianas".

O secretário do conselho de segurança nacional da Ucrânia, Olexandre Tourtshinov, negou categoricamente as acusações "falsas e histéricas" do FSB, assim como o Estado-Maior da Ucrânia, que as qualificou de "provocação".

"Essas declarações do FSB não passam de uma tentativa de justificar o destacamento e os atos agressivos dos militares russos no território da península anexada", afirmou o Ministério da Defesa ucraniano num comunicado.

"A Ucrânia não tenta nem tentará recuperar o seu território pela força", disse por seu lado um consultor dos serviços secretos ucranianos (SBU), Iuri Tandite.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.