sicnot

Perfil

Mundo

Putin felicita "querido amigo" Fidel Castro pelo 90º aniversário

Encontro entre Putin e Fidel Castro em Havana em julho de 2014.

© Handout . / Reuters

O Presidente russo, Vladimir Putin, felicitou hoje o líder revolucionário cubano Fidel Castro, que designou de "querido amigo", pelos seus 90 anos.

"Você desfruta de profundo respeito na Rússia como um estadista notável que dedicou toda a sua vida a servir o povo de Cuba", escreveu Putin num telegrama divulgado no 'site' do Kremlin.

"É difícil sobrestimar a sua contribuição pessoal para o desenvolvimento da amizade e cooperação entre os nossos países", adianta o presidente russo, fazendo votos de "boa saúde, longevidade, vitalidade e prosperidade".

Simultaneamente amado como um herói e odiado como um ditador, Castro é uma das figuras gigantes da história moderna que desafiou os Estados Unidos para transformar a sua nação num firme aliado da União Soviética.

As ligações entre Moscovo e Havana sofreram após o colapso da URSS, tendo o corte do enorme fluxo da ajuda financeira de Moscovo constituído um significativo golpe económico para a ilha.

Vladimir Putin tem procurado reforçar os laços com Havana, tendo estado com Fidel Castro em 2014 durante uma visita a Cuba.

Lusa

  • Fidel comemora 90 anos este sábado

    Mundo

    ​Fidel Castro celebra no sábado 90 anos, mas apesar da provecta idade e de estar afastado do poder há uma década, o "pai da revolução cubana" continua a exercer influência e a marcar a identidade coletiva de Cuba.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela.