sicnot

Perfil

Mundo

Conflito no Sudão do Sul pode aumentar crianças-soldado, alerta UNICEF

Crianças do Sudão do Sul deslocadas para um campo da missão da ONU.

© Handout . / Reuters

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou hoje que o recomeço do conflito no Sudão do Sul pode colocar dezenas de milhares de crianças em risco de serem recrutadas por grupos armados.

"Nesta fase precária da curta história do Sudão do Sul, teme-se que um aumento adicional no recrutamento de crianças possa estar iminente", refere a agência da ONU num comunicado.

As forças do Presidente sul-sudanês, Salva Kiir, e do líder rebelde Riek Machar assinaram um acordo de paz em agosto de 2015, mas no mês passado voltaram a protagonizar combates a capital Juba.

Só no início deste ano, 650 crianças foram recrutadas no país, onde desde o início da guerra, em dezembro de 2013, cerca de 16.000 menores já se tornaram soldados.

A UNICEF, que supervisionou em 2015 a desmobilização de 1.775 crianças-soldado, pediu "o término imediato do recrutamento e libertação incondicional de todas as crianças".

"O sonho que todos compartilhamos para as crianças deste jovem país tornou-se um pesadelo", disse o diretor adjunto da UNICEF, Justin Forsyth, depois de uma viagem ao Sudão do Sul.

Forsyth informou ainda que "as crianças são vítimas de um sofrimento terrível", porque passam "por violações sistemáticas, exploração sexual e sequestro (...)".

O conflito no Sudão do Sul eclodiu em dezembro de 2013, quando Kiir denunciou uma suposta tentativa de golpe liderada por Machar. Posteriormente, um acordo de paz foi assinado em agosto de 2015.

Os combates entre unidades militares rivais registados na capital, Juba, entre 08 e 11 de julho deste ano, causaram pelo menos 300 mortes e o deslocamento de milhares de pessoas.

Machar acabou por fugir de Juba - para onde havia voltado depois de prestar juramento para o cargo de vice-presidente do Governo de Unidade Nacional, termo estipulado pelo acordo de paz -, tendo sido substituído por Taban Deng Gai.

A ONU confirmou na quinta-feira que o líder rebelde Riek Machar, que estava desaparecido desde o mês passado, encontra-se na República Democrática do Congo (RDC).

O Sudão do Sul, independente desde 2011, é o mais jovem país do mundo.

Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.