sicnot

Perfil

Mundo

PKK reivindica atentado contra esquadra da polícia na Turquia

O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a guerrilha curda, reivindicou esta sexta-feira o atentado com um veículo armadilhado perpetrado na quinta-feira contra uma esquadra da polícia em Elazig, no leste da Turquia, que provocou cinco mortos.

"Um grande ataque suicida foi realizado pelos nossos camaradas contra a sede da polícia em Elazig" para denunciar a repressão das forças turcas contra as cidades curdas do sudeste, zona de maioria curda, da Turquia, indicaram as Forças de Defesa Popular (HPG), o braço militar do PKK, num comunicado citado pela agência pró-curda Firat.

Na quinta-feira, as autoridades turcas já tinham atribuído o ataque ao movimento curdo independentista, classificado pelas autoridades turcas como uma organização terrorista.

A par das vítimas mortais, mais de 200 pessoas ficaram feridas neste ataque contra as forças policiais.

Elazig é um bastião nacionalista turco que tem sido poupado num conflito que dura desde 1984 e que já custou a vida a mais de 40 mil pessoas.

Milhares de habitantes da cidade de Elazig manifestaram-se esta sexta-feira para protestar contra o PKK, relataram os media locais.

Horas antes do atentado suicida em Elazig, um ataque idêntico contra um quartel da polícia na província de Van, na fronteira com o Irão, causou três mortos, dois dos quais civis.

As forças de segurança são alvo de ataques quase diários do PKK, depois do fim do cessar-fogo unilateral, na sequência do fracasso das negociações de paz com o governo turco, em julho de 2015.

O PKK, considerado uma organização terrorista pela Turquia, União Europeia e Estados Unidos da América, trava desde 1984 uma luta armada por maior autonomia para os mais de 12 milhões de curdos que vivem no país e independência para as regiões curdas.

No âmbito da purga lançada por Ancara contra os alegados apoiantes do opositor Fethullah Gülen, acusado pelo governo turco de ter planeado o golpe falhado de 15 de julho, milhares de polícias e de militares foram afastados de funções ou acusados.

Estas medidas aumentaram os receios sobre um possível enfraquecimento dos meios do Estado turco envolvidos na luta contra o PKK.

Lusa

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.