sicnot

Perfil

Mundo

Dilma diz que não dará a renúncia de presente aos adversários políticos

A Presidente brasileira com mandato suspenso, Dilma Rousseff, afirmou na madrugada de hoje, em entrevista transmitida pelo canal SBT, que não dará a renúncia de presente aos seus inimigos políticos no processo de 'impeachment' (destituição).

Questionada sobre a possibilidade de renunciar antes de ser julgada pelo Senado (câmara alta parlamentar), Dilma Rousseff frisou que não tinha a menor intenção de o fazer.

"Não dou esse presente a eles [adversários políticos]. Jamais vou jogar a toalha", disse.

A Presidente com mandato suspenso reafirmou que é vítima de um julgamento fraudulento e que houve uma campanha liderada por membros da oposição para motivar a sua destituição, cujo objetivo foi desconstruir a sua imagem e eleger um novo Governo de forma indireta.

Dilma Rousseff alegou que o atraso na transferência de verbas para os bancos públicos e a assinatura de decretos não numerados, os dois argumentos usados no processo de destituição, foram atos também praticados pelos seus antecessores Fernando Henrique Cardoso e de Luiz Inácio Lula da Silva, mas que somente agora são considerados crime.

"Ou é crime para todo mundo ou não é para ninguém", salientou.

Dilma Rousseff voltou igualmente a acusar o Presidente interino Michel Temer de traição, afirmando que ele "não foi eleito para fazer o que está fazendo".

"Foi eleito com o meu programa de Governo", frisou.

Relativamente aos escândalos de corrupção praticados no Brasil durante o seu Governo, negou qualquer envolvimento.

"Não tenho responsabilidade nenhuma se um funcionário da Petrobras resolveu ser corrupto", declarou.

Dilma Rousseff é acusada de ter cometido crime de responsabilidade ao praticar manobras fiscais com o objetivo de melhorar as contas públicas e assinar decretos a autorizar despesas que não estavam previstas no orçamento.

O seu julgamento terá início na próxima quinta-feira às 09:00 horas (13:00 em Lisboa) e não existe um prazo determinado para finalizar.

Se se confirmar o 'impeachment' de Dilma Rousseff, será o primeiro da história do Brasil em que o Presidente lutou até ao fim.

Em 1992, o 'impeachment' de Fernando Collor de Mello foi concluído apesar de, horas antes do julgamento final, ele ter renunciado ao cargo.

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.