sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha adota novo plano de defesa civil

O governo alemão aprovou esta quarta-feira um plano de defesa civil, que pede aos cidadãos para fazerem aprovisionamentos de água e alimentos, permitindo uma resposta em caso de atentados ou catástrofes naturais.

Trata-se de "estar pronto para cenários de catástrofe", "como em todos os países do mundo", explicou à imprensa o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, acrescentando que a elaboração destas medidas começou em 2012.

O último plano de defesa civil datava de 1995, um período marcado pela moderação das políticas de segurança, na sequência do fim da Guerra-Fria, indicou o governo em comunicado difundido ao princípio da tarde.

A atualização daquele plano "estava prevista há muito e não está relacionada com uma situação de perigo, nem com as atuais ameaças terroristas", assegurou Ulrike Demmer, porta-voz da chanceler Angela Merkel, durante um encontro habitual com a imprensa.

O plano contém uma série de medidas para garantir o funcionamento do Estado em caso de crise, e o fornecimento de água, eletricidade, alimentos e cuidados médicos à população.

"Um ataque em território alemão que exija (o recurso a) uma defesa convencional é pouco provável", sublinha o documento do ministério do Interior.

Entre as recomendações feitas à população, contam-se a necessidade de reservas de água, de "dois litros por pessoa e por dia, por um período de cinco dias". Os cidadãos devem abastecer-se de alimentos suficientes para dez dias.

Prevê também planos de emergência em caso de interrupção do fornecimento de água ou eletricidade, uma série de medidas de segurança em caso de crise de natureza química, atómica ou biológica, ou ainda em caso de ataques cibernéticos.

A oposição criticou esta iniciativa do governo, com os Verdes a acusarem o plano de se alimentar dos medos da população, agravados na sequência de dois atentados, em julho, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), e por um ataque que causou nove mortos em Munique (sul).

O jornal Bild brincou com a situação e publicou uma lista com artigos indispensáveis para armazenar, como alperces secos e latas de salsichas.

Esta tarde, De Maizière apresenta o plano em pormenor.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.