sicnot

Perfil

Mundo

Pentágono condena "provocações" de navios iranianos no Golfo Pérsico

O Pentágono condenou as "provocações" de navios iranianos no Golfo Pérsico contra barcos de guerra norte-americanos, que realizaram vários disparos de advertência.

Segundo o porta-voz do Pentágono, Peter Cook, os disparos realizaram-se "porque era a única via para evitar uma escalada da situação".

Peter Cook condenou o comportamento dos navios iranianos por ser "pouco profissional e inseguro" e colocar ambos os países em risco de uma escalada militar e um confronto.

Na quarta-feira, quatro navios militares iranianos aproximaram-se de um contratorpedeiro dos Estados Unidos com as armas a descoberto no Estreito de Ormuz.

Hoje, uma lancha rápida da Guarda Revolucionária Iraniana aproximou-se a menos de 200 metros de um navio de patrulha da Marinha dos Estados Unidos, que realizou três disparos e fez soar as sirenes de alarme, depois de tentar comunicar com os navios iranianos.

Segundo Peter Cook, nos últimos dias ocorreram pelo menos três daqueles incidentes e os navios norte-americanos estavam em operação, como sempre o fizeram, nas águas do Golfo Pérsico, onde estão localizadas importantes rotas para o comércio e tráfego marítimo internacional.

"Não sabemos quais eram as intenções dos iranianos, mas aquelas ações são inaceitáveis" e "elevam desnecessariamente a tensão" entre os dois países, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Elizabeth Trudeau.

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.