sicnot

Perfil

Mundo

Pentágono condena "provocações" de navios iranianos no Golfo Pérsico

O Pentágono condenou as "provocações" de navios iranianos no Golfo Pérsico contra barcos de guerra norte-americanos, que realizaram vários disparos de advertência.

Segundo o porta-voz do Pentágono, Peter Cook, os disparos realizaram-se "porque era a única via para evitar uma escalada da situação".

Peter Cook condenou o comportamento dos navios iranianos por ser "pouco profissional e inseguro" e colocar ambos os países em risco de uma escalada militar e um confronto.

Na quarta-feira, quatro navios militares iranianos aproximaram-se de um contratorpedeiro dos Estados Unidos com as armas a descoberto no Estreito de Ormuz.

Hoje, uma lancha rápida da Guarda Revolucionária Iraniana aproximou-se a menos de 200 metros de um navio de patrulha da Marinha dos Estados Unidos, que realizou três disparos e fez soar as sirenes de alarme, depois de tentar comunicar com os navios iranianos.

Segundo Peter Cook, nos últimos dias ocorreram pelo menos três daqueles incidentes e os navios norte-americanos estavam em operação, como sempre o fizeram, nas águas do Golfo Pérsico, onde estão localizadas importantes rotas para o comércio e tráfego marítimo internacional.

"Não sabemos quais eram as intenções dos iranianos, mas aquelas ações são inaceitáveis" e "elevam desnecessariamente a tensão" entre os dois países, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Elizabeth Trudeau.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52