sicnot

Perfil

Mundo

Proibição do burkini é uma medida "discriminatória, preconceituosa e intolerante"

A Amnistia Internacional considera que a proibição do uso do burkini em várias cidades francesas é uma medida "discriminatória, alimentada por preconceitos e intolerância" e pode abrir caminho a abusos de mulheres e raparigas.

Num comunicado emitido esta quinta-feira, a Amnistia diz que a decisão constitui uma "oportunidade perdida" para pôr fim ao ataque à liberdade de expressão e religiosa das mulheres e ao direito à não-discriminação.


Numa altura em que a proibição do burkini está a ser avaliada pelo Tribunal Administrativo Francês, o director da Amnistia Internacional para a Europa considera que a justiça francesa tem nas mãos uma oportunidade de anular estas medidas preconceituosas.

  • Proibição de burkini divide opiniões em França
    3:46

    Mundo

    O debate em torno do uso do burkini continua polémico em França sobretudo depois de terem sido divulgadas imagens de polícias a multarem e a obrigarem uma mulher a despir as roupas que tapavam o corpo inteiro em plena praia. O tema já foi até abordado pelo primeiro-ministro francês, que concorda com a proibição do uso do burkini, um fato de banho que cobre todo o corpo.

  • Enfermeiros dizem que suplemento de 150 € não é suficiente para acordo
    0:57

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros diz que há um avanço nas negociações com o Governo. Esta terça-feira à tarde, uma delegação do Ministério das Finanças esteve numa reunião que decorreu no Ministério da Saúde. Apesar disso, o presidente do sindicato, José Azevedo, explicou à SIC que a proposta do executivo de pagar mais 150 euros aos enfermeiros especializados não é suficiente para chegarem a acordo.

  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43
  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC