sicnot

Perfil

Mundo

Proibição do burkini é uma medida "discriminatória, preconceituosa e intolerante"

A Amnistia Internacional considera que a proibição do uso do burkini em várias cidades francesas é uma medida "discriminatória, alimentada por preconceitos e intolerância" e pode abrir caminho a abusos de mulheres e raparigas.

Num comunicado emitido esta quinta-feira, a Amnistia diz que a decisão constitui uma "oportunidade perdida" para pôr fim ao ataque à liberdade de expressão e religiosa das mulheres e ao direito à não-discriminação.


Numa altura em que a proibição do burkini está a ser avaliada pelo Tribunal Administrativo Francês, o director da Amnistia Internacional para a Europa considera que a justiça francesa tem nas mãos uma oportunidade de anular estas medidas preconceituosas.

  • Proibição de burkini divide opiniões em França
    3:46

    Mundo

    O debate em torno do uso do burkini continua polémico em França sobretudo depois de terem sido divulgadas imagens de polícias a multarem e a obrigarem uma mulher a despir as roupas que tapavam o corpo inteiro em plena praia. O tema já foi até abordado pelo primeiro-ministro francês, que concorda com a proibição do uso do burkini, um fato de banho que cobre todo o corpo.

  • Mergulhadores espanhóis e forenses envolvidos nas buscas no rio Minho
    0:35

    País

    A Polícia Marítima confirmou à SIC que já estão a ser efetuados os primeiros mergulhos à superfície com uma equipa de mergulhadores espanhóis, que foram os primeiros a chegar a local. Durante a tarde desde domingo deve chegar ao local a equipa de mergulhadores forenses de Lisboa para ajudaram nas operações de busca ao pescador que desapareceu ontem à noite de em Alvaredo, concelho de Melgaço, no distrito de Viana do Castelo.

  • Portugal vai testar capacidade de resposta a ciberataque
    0:22

    País

    O exercício está marcado para os dias 09 e 10 de maio e é o primeiro a nível nacional a testar um ciberataque em Portugal. O teste é organizado pelo Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) para apurar "o "grau de preparação" das várias entidades públicas e privadas, mas já conclusões a ter em conta. Segundo o coordenador do CNCS, Pedro Veiga confirma-se tendência para os ataques serem cada vez mais sofisticados e é preciso alertar a população para o que publicam na internet e se pode colocar em risco a privacidade e a segurança.

  • As suspeitas que recaem sobre Ricardo Salgado e Manuel Pinho
    2:00