sicnot

Perfil

Mundo

Polícia volta a reprimir com violência manifestação da oposição no Zimbabué

A polícia antimotim zimbabueana voltou a reprimir esta sexta-feira violentamente uma manifestação da oposição em Harare, utilizando gás lacrimogéneo e canhões de água logo no início da concentração, segundo um jornalista da agência France Presse no local.

Os manifestantes responderam lançando pedras e incendiando pneus, tendo alguns destruído a placa de uma rua com o nome do presidente Robert Mugabe.

A manifestação, autorizada pela justiça, foi organizada por 18 partidos da oposição que exigem uma reforma eleitoral tendo em vista as eleições gerais de 2018. Robert Mugabe, de 92 anos e no poder desde 1980, vai recandidatar-se.

Os polícias perseguiram ainda alguns manifestantes para lhes baterem com cassetetes e ameaçaram os jornalistas que faziam a cobertura da manifestação.

Segundo a AFP, as ruas habitualmente animadas do centro de Harare encontravam-se vazias e muitas das lojas fechadas.

Também se registaram confrontos entre os manifestantes e comerciantes apoiantes do partido no poder, a ZANU-PF, que recusavam encerrar as lojas.

Na quinta-feira, a polícia tinha alertado os manifestantes para os riscos da concentração perturbar a atividade na capital zimbabueana, tentando desencorajá-los.

O ministro do Interior, Ignatious Chombo, advertiu que o governo permaneceria inflexível face a manifestações que querem "uma mudança de regime" e são "patrocinadas pelo Ocidente".

Por outro lado, várias embaixadas em Harare apelaram às autoridades para respeitarem os direitos humanos.

Há várias semanas que o Zimbabué é palco de um movimento de contestação a Mugabe de uma rara amplitude e que resiste à repressão do regime.

Os manifestantes, sobretudo da sociedade civil, pedem a saída de Mugabe, que acusam do fracasso económico do Zimbabué.

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Já há destinos esgotados para o Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • As crianças que estão a morrer à fome em África

    Mundo

    A UNICEF alertou esta terça-feira que a má nutrição aguda que afeta a Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iémen coloca este ano em "iminente" risco de morte 1,4 milhões de crianças devido à fome que existe naqueles países. São milhares de casos de um incessante desespero numa luta diária pela sobrevivência.

  • Cães desfilam no Rio de Janeiro
    1:00

    Mundo

    O tradicional cortejo de Carnaval brasileiro só acontece daqui a uns dias, mas no Rio de Janeiro já há inúmeros desfiles pelas ruas. Na praia de Copacabana, os animais mascararam-se de humanos.