sicnot

Perfil

Mundo

Metade dos alemães opõe-se a um novo mandato de Merkel

Metade dos alemães preferem que a atual chanceler Angela Merkel não se apresente à reeleição nas eleições legislativas de 2017, um dos piores resultados da líder conservadora alemã, segundo uma sondagem este domingo publicada pelo jornal Bild am Sonntag.

Esta sondagem é divulgada um dia depois do semanário Der Spiegel ter avançado que Merkel, considerada como a mulher mais poderosa da Europa, tinha ponderado anunciar a sua candidatura para um quarto mandato à frente do governo alemão ainda este ano, mas que tinha recuado.

De acordo com o semanário alemão, a chanceler terá adiado a decisão por causa crise dos refugiados e de problemas internos no seio da coligação governamental.

A sondagem do Bild am Sonntag revelou que a chanceler alemã consegue um apoio global na ordem dos 42%, contra os 50% dos inquiridos que se manifestam contra um novo mandato da chanceler.

Os números são mais favoráveis para Merkel quando só questionados eleitores do bloco conservador, que integra a força partidária da chanceler, a União Democrata Cristã (CDU), e o seu aliado político no estado da Baviera, a União Social-Cristã da Baviera (CSU): a taxa de apoio ronda os 70%, enquanto 22% está contra a sua possível candidatura.

De acordo com o Der Spiegel, Merkel atrasou o anúncio da sua candidatura porque o líder da CSU, Horst Seehofer, ainda não decidiu se a sua força partidária vai apoiar a líder conservadora nas próximas eleições, uma decisão inédita que poderá representar uma rutura histórica entre as duas formações.

Numa entrevista hoje divulgada pela televisão pública ARD, Angela Merkel evitou dizer se irá apresentar-se à reeleição nas próximas eleições legislativas federais, previstas para o outono de 2017.

A chefe do governo alemão assegurou que vai comunicar a sua decisão no "momento adequado", algo que também afeta o seu mandato como presidente da CDU, questão que deve ser definida em dezembro deste ano.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.