sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 111.000 migrantes e refugiados resgatados no Mediterrâneo desde início do ano

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) estimou esta terça-feira que 111.500 migrantes e refugiados foram resgatados desde o início do ano no Mediterrâneo central, rota marítima entre o norte da Líbia e as costas italianas.

A última grande operação de salvamento decorreu nas últimas 48 horas, com o resgate de 7.027 pessoas, segundo afirmou o porta-voz da agência das Nações Unidas, Joel Millman.

As operações de resgate foram realizadas por embarcações da Itália, Irlanda, Reino Unido e da Noruega, bem como por uma embarcação da organização humanitária Médicos sem Fronteiras.

Muitas das pessoas resgatadas tentavam atravessar o Canal da Sicília, que separa a ilha italiana da Sicília e a costa de Tunes (Tunísia), em grupos de dezenas de botes pneumáticos, enquanto outras faziam a travessia em pequenas embarcações de madeira e em duas embarcações de pesca de maior dimensão.

A Guarda Costeira italiana continua a realizar resgates diários de migrantes e de refugiados que partem da Líbia em direção à Europa, mas considera que as atuais condições do mar, com registo de ventos fortes anormais para a época, podem ter dissuadido algumas embarcações, que terão preferido adiar a partida.

Os resgates na rota do Mediterrâneo central têm mantido um ritmo constante, mas a OIM verificou uma redução no número de vítimas: em agosto foram contabilizadas 40 mortes, muito menos face às 600 mortes registadas em agosto de 2015 e de 2014.

No entanto, em termos anuais, o número de vítimas aumentou. No total, 3.165 pessoas perderam a vida durante a travessia do Mediterrâneo desde o início do ano, mais 509 do que nos primeiros oitos meses de 2015.

Desde janeiro, 272.070 migrantes e refugiados chegaram à Europa através do mar Mediterrâneo, a grande maioria entrou pela Itália e pela Grécia.

Este total é significativamente inferior aos 354.000 migrantes e refugiados registados entre janeiro e agosto do ano passado.

Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC