sicnot

Perfil

Mundo

Papa envia carta ao Congresso Mariológico Mariano Internacional de Fátima

Reuters

O Papa Francisco enviou uma carta ao Congresso Mariológico Mariano Internacional, onde realça a "singularidade e a importância" deste encontro, que decorre de 6 a 11 de setembro, em Fátima, no concelho de Ourém.

Em nota de imprensa, o Santuário de Fátima informa que o papa enviou uma carta ao enviado especial, José Saraiva Martins, a salientar a singularidade e a importância do 24.º Congresso Mariológico Mariano Internacional, que será presidido pelo referido cardeal, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos.

Na missiva pode ler-se que "Maria vive com Jesus completamente transfigurada e todas as criaturas cantam a sua beleza. É a mulher vestida de sol, com a lua debaixo dos pés e com uma coroa de doze estrelas na cabeça' (Ap 12,1).

"Aprouve-nos escrever esta afirmação na carta encíclica Laudato Si (n. 241), em que pedimos à Mãe do Redentor que nos ajude a contemplar este mundo com um olhar mais sapiente. Desejando imenso promover o culto mariano na Igreja, voltamos agora a nossa atenção para um evento de singular importância, tempo de oração, meditação e reflexão. como é o XXIV Congresso Mariológico Mariano Internacional que se realiza em Fátima, de 6 a 11 do próximo mês de setembro".

Promovido pela Pontifícia Academia Mariana em colaboração com o Santuário de Fátima e com as sociedades mariológicas dos diversos países, o congresso - que se realiza de quatro em quatro anos - vai ter como tema "O acontecimento Fátima, cem anos depois. História, mensagem e atualidade", conforme a aprovação do papa Francisco, adianta a nota do Santuário de Fátima.

"Os ilustres membros da Pontifícia Academia Mariana Internacional propuseram os assuntos da diligente investigação com o título: 'O acontecimento de Fátima, cem anos depois. História, mensagem e atualidade'. Esperamos que estas doutas investigações, através do congresso dos estudiosos da Bem-aventurada Virgem Maria, tragam nova inspiração e novo progresso espiritual nas circunstâncias do nosso tempo", afirma o papa Francisco, citado pelo Santuário.

Segundo o Santuário de Fátima, a escolha do cardeal D. José Saraiva Martins foi natural, uma vez que "insigne filho da Pátria Lusitana", e pelas suas funções como prefeito da Congregação da Causa dos Santos, é "reconhecido pela grande devoção à Bem-aventurada Maria Virgem de Fátima".

O papa Francisco saúda ainda em "especial" António Marto, "Bispo de Leiria-Fátima e todos os Prelados e fiéis que acorrem a Fátima para o congresso, como também as autoridades civis".

Durante o congresso, que integra o programa de celebrações do Centenário das Aparições de Nossa Senhora, serão apresentados e discutidos os resultados de um estudo rigoroso, crítico e atualizado da documentação inerente à história do evento mariofânico ocorrido em Fátima.

Por outro lado, os participantes procurarão definir linhas de investigação para o estudo e aprofundamento da mensagem de Fátima que, pelos seus densos conteúdos, representa uma "profecia" repleta de esperança para a Igreja, a humanidade e o mundo contemporâneo, refere ainda o comunicado.

Segundo o Santuário, "este intenso trabalho de interpretação, confrontação e atualização é conduzido à luz tanto dos relatórios apresentados por vários especialistas durante as sessões gerais como dos contributos propostos durante os trabalhos de grupo, organizados segundo as diferentes esferas linguísticas".

Pelo facto de numerosos institutos de vida consagrada e movimentos eclesiais se inspirarem na mensagem de Fátima e a difundirem em todo o mundo, um outro aspeto característico do Congresso é precisamente a participação de representantes destas instituições como, por exemplo, o Apostolado Mundial de Fátima.

"Este congresso é o mais importante momento internacional de reflexão na área da mariologia, com temática em específico a incidir no acontecimento de Fátima".

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".