sicnot

Perfil

Mundo

Hollande e Merkel pedem que trégua na Ucrânia seja duradoura

​O Presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, manifestaram apoio à trégua que entrou em vigor na Ucrânia e apelaram para que seja "o princípio de um cessar-fogo duradouro".

Num comunicado conjunto, os dois dirigentes manifestaram "séria preocupação" com a situação de segurança no leste da Ucrânia, em particular na linha de separação as forças ucranianas e separatistas.

Hollande e Merkel reafirmam no texto "determinação para continuar todos os esforços" para "a plena" aplicação dos Acordos de Minsk e reiteram "o compromisso para com a soberania e integridade da Ucrânia".

O Grupo de Contacto, formado por representantes da Ucrânia, da Rússia e da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) chegou a acordo a 26 de agosto para um cessar-fogo na zona de conflito a partir de 1 de setembro, data do início do ano escolar.

Os Acordos de Minsk prevêem, desde fevereiro de 2015, um cessar-fogo no leste da Ucrânia, mas a trégua tem sido frequentemente violada.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares