sicnot

Perfil

Mundo

Furacão Newton baixa para tempestade e faz dois mortos no México

© NASA / Reuters

O furacão Newton perdeu intensidade, passou a tempestade, e chegou hoje às costas do México, depois de ter feito dois mortos na península mexicana da Baixa Califórnia, anunciou o centro norte-americano de vigilância de furações (NHC).

A depressão tocou terra junto à Baía Kinon, no estado de Sonora (noroeste do México) com ventos de 110 km/h, precisou o NHC.

A tempestade irá agora percorrer o norte do México, com pluviosidade importante (até 25 cms/m2 nas costas do Pacífico) antes de chegar ao estado norte-americano do Arizona no final do dia de hoje.

Na terça-feira, o furacão atingiu o estado mexicano da Baixa Califórnia com ventos de até 150 km/h.

A forte ondulação adornou um barco de pescadores de caranguejo fazendo dois mortos e três desaparecidos, precisou o diretor da Proteção Civil da estância balnear de Los Cabos, Marco Antonio Vazquez.

De acordo com o secretário do Turismo do estado, Genaro Ruiz, 15 mil turistas, na sua maioria norte-americanos, estão atualmente de férias em La Paz, Loreto e em Los Cabos.

Em setembro de 2014, a estância balnear de Los Cabos foi duramente fustigada pelo furacão Odile, que fez seis mortos e provocou danos importantes.

Em setembro de 2013, o impacto quase simultâneo de dois furacões, Ingrid e Manuel, fez 157 mortos no estado de Guerrero, entre os quais uma meia centena de pessoas soterradas por um deslizamento de terras na localidade de La Pintada.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.