sicnot

Perfil

Mundo

Obama visita vítimas dos bombardeamentos norte-americanos no Laos

© Jonathan Ernst / Reuters

Barack Obama visitou hoje um centro de reabilitação para vítimas das bombas que os Estados Unidos lançaram no Laos durante a Guerra do Vietname, um dia depois de elevar a ajuda ao país asiático para remover explosivos não detonados.

O Laos tem um legado de mais de dois milhões de toneladas de bombas que a aviação norte-americana lançou entre 1964 e 1973 numa operação secreta, o que tornou este país no mais bombardeado da história.

O Presidente norte-americano, que participa no Laos numa reunião dos países do Sudeste Asiático, visitou uma cooperativa financiada pelos Estados Unidos que oferece próteses e apoios a pessoas incapacitadas, e sublinhou que essa guerra afetou os laosianos muito além do campo de batalha, segundo um comunicado da Casa Branca.

"Durante as últimas quatro décadas o povo do Laos viveu sob a sombra da guerra", disse Obama, que insistiu na importância de reconhecer a implicação de Washington na guerra secreta que levou a cabo no país.

Os Estados Unidos vão intensificar os esforços para ajudar o Laos a retirar as bombas por explodir que ainda tem no seu território, anunciou na terça-feira a Casa Branca durante a visita de Obama ao país que Washington bombardeou fortemente.

O Laos tornou-se o país mais fortemente bombardeado do mundo, per capita, entre 1964 e 1973, quando os Estados Unidos lançaram uma guerra secreta para cortar as rotas de abastecimento aos combatentes comunistas durante a Guerra do Vietname.

Grande parte do país continua repleto de munições, que ainda matam e mutilam pessoas.

O problema há muito que ensombra as relações entre os dois países, no entanto, as duas nações aproximaram-se nos últimos anos e a visita de Obama -- a primeira de um Presidente norte-americano ao Laos -- é apontada como um marco para o recomeço dos laços entre os países.

Num comunicado, a Casa Branca disse que ia destinar 90 milhões de dólares ao Laos, nos próximos três anos, para "lidar com o impacto causado pelas bombas por explodir".

O número ultrapassa antigos compromissos de Washington com o Laos, já que nos últimos 20 anos foram cedidos 100 milhões de dólares no total.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.